Brancos não sofrem racismo e a gente te mostra o porquê.

RACISMO REVERSO?

que história é essa de

IMAGEM:  Jean-Baptiste Debret POR:  LETÍCIA FIALHO

“Quem acredita em racismo inverso crê que há um racismo bom e ideal (o anti-negro) e um racismo mau (anti-branco)”,

afirma Janaína Damaceno, doutora em Antropologia social. 

IMAGEM:  retrato j b debret

‘Seu branquelo azedo, se ponha no seu lugar!’.

Será que você já presenciou uma fala dessas? Um negro ofendendo um branco? Pode ser que você tenha vivenciado uma cena como essa ou parecida. 

IMAGEM: August Earle

A partir de casos como esse, pessoas não negras se apropriam de tal situação ofensiva à sua etnia para criar o racismo reverso/inverso, ou melhor, o racismo de negro contra branco.

IMAGEM:  retrato e desenho de august earle

Na busca por desmistificar essa invenção, é preciso entender o porquê de mesmo que um negro ofenda um branco verbalmente, isso nunca poderia ser chamado de racismo inverso.

Isso aconteceu? Não.

Houve na história algum navio cheio de escravos brancos retirados à força de seus países e enviados em condições desumanas para países que se apropriaram de suas vidas.

IMAGEM:  cruz da ordem de cristo

Como também sabemos que o Brasil não foi descoberto e sim invadido. Com a chegada dos portugueses, os habitantes tiveram sua cultura e religião destruídas.

IMAGEM:  johann moritz rugendas

Milhares de navios negreiros trouxeram desumanamente pessoas da África para serem escravizadas no Brasil. Muitas morreram na viagem por fome, cansaço, doenças ou na tentativa de fugir. 

IMAGEM:  retrato da princesa isabel e de luiz gama

Com a declaração da Lei Áurea, em 1888, os negros ex-escravizados foram largados à própria sorte e seus descendentes sofrem as consequências disso até a atualidade.

Um exemplo é a disparidade racial entre negros e brancos, onde os brancos ocupam majoritariamente cargos mais importantes e com salários mais altos.

foto:  família real por alberto henschel 

As melhores escolas e universidades também são ocupadas majoritariamente por pessoas brancas, entre alunos e professores. A elite brasileira é de maioria branca.

A representação negra na mídia é minoritária e isso ocorre em praticamente todas as instâncias, do jornalismo às novelas. 

Nos presídios brasileiros, cerca de 67% da população carcerária é negra e 77% dos mortos no nosso país são jovens negros, entre 15 a 29 anos. 

Você sabe a diferença entre racismo e preconceito? 

racismo

O racismo é um mito criado sobre a cor de pele negra na qual o fenótipo, que é o conjunto de características físicas de uma pessoa, culmina no ódio aos negros.

preconceito

Já o preconceito pode ter várias vertentes e ser atribuído à maneira que uma pessoa se veste, cabelo, local onde mora e orientação sexual, por exemplo.

Por isso, quando uma pessoa branca sofre algum tipo de agressão verbal relacionada à cor, não deve dizer que sofreu racismo reverso, porque racismo é único e exclusivamente direcionado ao ser não branco.

A pessoa branca é suscetível a sofrer algum tipo de preconceito, uma discriminação ou injúria racial, que está relacionada à ofensas contra a honra da vítima, independente de seu fenótipo. 

Racismo é um crime criado pelo ódio à etnia negra e mata milhares de pessoas negras em todo o mundo. Devemos desconstruir o racismo inverso, que é uma expressão usada para negar a estrutura racista.

Your Page!

"Estou há muito tempo lutando pela causa negra. Eu tenho 72 anos. Estou lutando por essa causa desde que eu tinha 18 anos. E eu estou vivendo em um exílio.”

Vídeo:  tv correio nagô