O processo em que as condições da sociedade impõem a subalternidade de determinados grupos que são identificados racialmente, no Brasil, é fruto dos mais de 300 anos de escravidão.

e como combatê-lo?

O QUE SIGNIFICA RACISMO 'ESTRUTURAL'

texto original: CAROLINE NUNES
Reprodução/Amanda Rocha 
POR:  VICTOR LACERDA

“Todo o racismo é estrutural porque o racismo não é um ato, é um processo em que as condições de organização da sociedade reproduzem a subalternidade de determinados grupos que são identificados racialmente”,

- Silvio Almeida

REPRODUÇÃO VIA O GLOBO

Para entender as suas raízes, o estudioso afirma que é necessário revisitar os períodos entre o século 16 ao século 19, em que foi instituída a escravidão, que foi marcada principalmente pela exploração forçada da mão de obra de negros e negras sequestrados de África.

pintura: Jean-Baptiste Debret, c. 1830.

Os mais de 300 anos de escravidão no Brasil, somado ao interesse econômico internacional, deixaram marcas profundas de desigualdade em todas as estruturas de poder.

adaptação de imagem do pixabay

Segundo o também autor do livro ‘Racismo Estrutural’, essa desigualdade orienta e conduz, até os dias de hoje, as relações econômicas, sociais, culturais e institucionais do país.

imagem divulgação
O estudioso Silvio Almeida, em fala para o programa Roda Viva

"O racismo é um elemento muito complexo na sociedade e do mundo todo, e, não podemos deixar de ver o racismo na sua ligação intrínseca com outros elementos da vida social, como por exemplo, a economia, o direito, a política e até mesmo na produção do imaginário social".

O jurista complementa que muitas pessoas escravizadas permaneceram nos serviços informais e pesados mesmo no período pós-abolição.

reprodução via setor 1 - band
crédito foto: alice vergueiro

“Foi a partir daí que se instalou a exclusão de pessoas negras dentro das instituições, na política, e em todos os espaços de poder”.

- Silvio Almeida

De lá para cá, o racismo estrutural se fortalece a partir de um pressuposto de superioridade de raças, onde a raça ariana (branca) é colocada em posição de maior importância em relação às outras, algo que, de diferentes modos, é vivido, também na contemporaneidade.

adaptação de imagens do pixabay
GRÁFICO: ALMA PRETA

Já a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Educação) mostra que 71,7% dos jovens fora da escola são negros, e apenas 27,3% são brancos.

reprodução internet

O mesmo estudo demonstra a desigualdade de acesso à educação nos índices de analfabetismo: 3,6% das pessoas brancas de 15 anos ou mais eram analfabetas em 2020, enquanto entre as pessoas negras esse percentual chega a 8,9%.

CRÉDITO: Doug Linstedt VIA UNSPLASH

Quanto à violência, a chance de uma pessoa negra ser assassinada no Brasil é 2,6 vezes superior àquela de uma pessoa não negra, segundo o Atlas da Violência de 2021.

crédito: tomaz silva/agência brasil

E COMO COMBATER?

A Constituição possui a Lei 7.716/1989, que torna inafiançável e imprescritível o crime de racismo, e o Art. 140 do Código Penal abrange os delitos de injúria racial, ações que objetivam proteger a população negra no país.

ilustração: i'sis almeida/alma preta

Entretanto, segundo a doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (USP), Adriana Moreira, é preciso entender os motivos dos meninos negros abandonarem mais cedo da escola do que os garotos brancos, por exemplo, ou porque negros morreram mais na pandemia.

CRÉDITO: Emmanuel Ikwuegbu VIA UNSPLASH

De acordo com uma pesquisa do Centro de Liderança Pública (CLP), garantir representatividade de raças e etnias nos espaços coletivos de decisão, além de incluir a diversidade de raça como um critério para a ocupação de cargos de liderança nas grandes empresas, estão entre as outras importantes medidas.

REPRODUÇÃO: INTERNET

O estudo ainda ressalta a importância da criação de programas de qualificação de preenchimento e coleta de dados sobre a população negra em
geral e falar de políticas
públicas transversais.

CRÉDITO: sérgio silva/ponte jornalismo

Em outras palavras, as políticas de redução da disparidade de renda e de redução da pobreza, por exemplo, precisam estar associadas a ações afirmativas em educação e de ampliação dos acessos para que sejam efetivas.

CRÉDITO: KING VIA UNSPLASH

TEXTOS
Victor Lacerda
Caroline Nunes

IMAGENS
Alma Preta
Amanda Rocha
Setor 1 - Band
Alice Vergueiro
Pixabay
Unsplash
Tomaz Silva/Agência Brasil
Sérgio Silva/Ponte Jornalismo

DESIGN
I'sis Almeida

CONHEÇA MAIS
HISTÓRIAS PRETAS

BLACKSTORIES