A independência
 De 

Guiné-Bissau

POR:  Giovanne ramos

No dia 24 de setembro de 1973, a Guiné-Bissau conquistou a sua independência de Portugal, reconhecida somente em 1974, tornando-se a primeira colônia portuguesa africana a se separar da metrópole.

fotografia: reprodução

O estopim foi o massacre no porto de Pindjiguiti-Bissau, no dia 3 de agosto de 1959, onde foram mortos mais de 50 marinheiros e estivadores por militares do regime colonial português.

fotografia: reprodução

O povo natural da então Guiné portuguesa optou por enfrentar o regime ditatorial através da luta armada de guerrilha, dando início a uma revolução que se iniciou em 23 de janeiro de 1963 e durou dez anos.

fotografia: reprodução

A luta contra o colonialismo e pela independência foi organizada pelo PAIGC (Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde), liderada por Amílcar Cabral.

FOTOGRAFIA: Retrato de Amílcar Cabral durante o Congresso de Cassacá, região libertada da Guiné

Amílcar Cabral foi um dos maiores líderes que surgiu no continente africano. Revolucionário guineense, idealizou e abriu caminhos para a independência de Guiné-Bissau e Cabo Verde.

REPRODUÇÃO

Apesar do uso de armas como instrumento de luta fosse uma estratégia do PAIGC, Amílcar não era um entusiasta da ação. Para ele, a educação era a arma adequada para a emancipação do povo.

REPRODUÇÃO

"Cremos que não escandalizaremos esta Assembleia ao afirmarmos que a única via eficaz para a realização canal e definitiva das aspirações dos povos à libertação nacional – é a luta armada"

- Amílcar Cabral

Após sucessivas vitórias, o movimento liderado pelo PAIGC dominou a maioria do território em 1973, uma conquista significativa que precedeu a proclamação da independência do país.

Amílcar não chegou a ver o seu sonho se realizar em vida. Foi assassinado em Conacri. Alguns atribuem o crime a agentes da inteligência portuguesa, outros por integrantes do próprio PAIGC.

A independência de Guiné-Bissau impactou o poder de Portugal e acabou indiretamente provocando a descolonização de outros países africanos, como Angola, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Cabo Verde.

REPRODUÇÃO

Luís Almeida Cabral, irmão de Amílcar, assumiu o controle do PAIGC e o poder em um governo único no país, de orientação comunista e que apoiava a fusão com Cabo Verde.

REPRODUÇÃO

A “transição democrática", no entanto, se iniciou apenas em 1991. Em 1994, aconteceram as primeiras eleições plurais, com o PAIGC vitorioso e João Bernardo Vieira o primeiro presidente eleito democraticamente.

REPRODUÇÃO

No dia 24 de setembro, é comemorado internacionalmente o aniversário da independência nacional da Guiné Bissau, com uma semana de eventos, inclusive em estados brasileiros, promovido por associações guineenses.

FOTOGRAFIA: UNILAB

ENTRE EM NOSSA PÁGINA PARA VER OUTRAS

GOSTOU DO CONTEÚDO?

BLACKSTORIES