POLíTICA / Quinta, 08 Julho 2021 11:14

Entrada de ex-policiais na política afeta a democracia, diz pesquisa

Levantamento do Instituto Sou da Paz revela que houve aumento de 940% nas eleições de deputados federais ligados às forças de segurança pública entre 2010 e 2018

Texto: Juca Guimarães I Edição: Nadine Nascimento I Imagem: Fernando Frazão/Agência Brasil

sessão de votação com urna eletrônica, estudo mostra alta de candidatos ex-policiais
Introdução:

Levantamento do Instituto Sou da Paz revela que houve aumento de 940% nas eleições de deputados federais ligados às forças de segurança pública entre 2010 e 2018

Texto: Juca Guimarães I Edição: Nadine Nascimento I Imagem: Fernando Frazão/Agência Brasil

O Instituto Sou da Paz, ONG de pesquisa sobre violência e segurança pública, divulgou um estudo sobre a participação de 6 mil ex-policiais e militares na política nacional. De acordo com o levantamento 'Policialismo: novo fenômeno político brasileiro?', o novo cenário é marcado pela ascensão do bolsonarismo.

A análise da pesquisa conclui que o uso de atividades de segurança pública para promoção política e a adesão a posicionamentos contra a Constituição, contra o STF (Supremo Tribunal Federal), por exemplo, representam um risco à democracia.

Nas eleições para a Câmara dos Deputados em 2010, foram eleitos quatro candidatos ligados às forças de segurança pública, ex-policiais e militares. Oito anos depois, foram eleitos 42 deputados com este perfil - uma alta de 940%. O estudo também apurou o mesmo fenômeno nas eleições municipais de 2012 a 2020. Essas candidaturas para a prefeitura aumentaram 129% (de 163 para 515).

A pesquisa mostra também que 57,5% desses candidatos ex-policiais são de direita, 30% de centro-direita, 9,5% de centro-esquerda e 3% de esquerda.

“Existem setores, carreiras e atividades, como as forças de segurança pública, o ministério público e a magistratura, cujos profissionais devem ser blindados contra interesses políticos e ideologias, para assegurar que o seu desempenho profissional seja pautado exclusivamente pela lei”, pontua Beatriz Graef, consultora do Sou da Paz.

Segundo o Instituto, o mais grave é que este novo fenômeno político já tem gerado motins e ações orientadas contra atores políticos determinados, seja em manifestações públicas ou investigações a partir da Lei de Segurança Nacional. Atualmente, a desincompatibilização entre a carreira na área de segurança e a candidatura para cargo político acontece em prazos que variam de 40 dias a seis meses antes das eleições.

“Esse prazo é muito curto e têm alguns projetos de lei com intuito rever essas regras, por exemplo, para que o profissional se afaste definitivamente da instituição e que aguarde um período maior para então poder se candidatar”, aponta Beatriz.

Segundo os dados do Sou da Paz, a maioria dos candidatos com perfil ligado às forças de segurança, com média de 50 anos de idade, são de nível social bem acima da média da população brasileira. Dos seis mil candidatos, 1.059 declararam um patrimônio com valor acima de meio milhão de reais, e 71 deles declararam mais de R$2 milhões.

O recorte racial, feito a partir da autodeclaração dos candidatos na ficha do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), indica que 46,4% são brancos, 40,6% são pardos e 11,4% são pretos. A representação de negros, soma de pretos e pardos, entre os candidatos com perfil ligado às forças de segurança é próximo da representação no todo da população brasileira, que é formada por 56% de pessoas negras, segundo o IBGE.

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui nosso Catarse

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

ileaiyeemsalvador.jpg
juventudeeracismo.jpg
boletim39.jpg
ccsp.jpg