POLíTICA / Segunda, 27 Setembro 2021 18:05

Anistia Internacional: há mil dias governo Bolsonaro viola direitos humanos

Relatório elaborado pela organização reuniu 32 casos de violações aos direitos cometidas pelo governo desde sua posse, em 2019; entre eles, está a flexibilização do porte e acesso a armas
 
Texto: Letícia Fialho | Edição: Nadine Nascimento | Imagem: Reprodução 

 

Bolsonaro completa mil dias de governo
Introdução:
Relatório elaborado pela organização reuniu 32 casos de violações aos direitos cometidas pelo governo desde sua posse, em 2019; entre eles, está a flexibilização do porte e acesso a armas
 
Texto: Letícia Fialho | Edição: Nadine Nascimento | Imagem: Reprodução 

 

A Anistia Internacional (AI) lista 32 situações de perdas de direitos humanos cometidas pelo governo de Jair Bolsonaro (sem partido) em seu relatório “1000 dias sem direitos - as violações do governo Bolsonaro”. Entre elas, as principais estão relacionadas à condução governamental na pandemia –  como a conduta negacionista e irresponsável, omissão, falta de transparência de dados, troca de ministros da saúde, falta de assistência adequada aos profissionais de saúde, entre outras -, à segurança pública e à relação desrespeitosa com a imprensa.

"Reunimos as ações da Anistia Internacional Brasil ao longo desses 1000 dias de governo Bolsonaro e concluímos que são 1000 dias sem direitos que brasileiros e brasileiras estão vivendo. As pessoas estão sentindo no bolso, no prato, na pele e no corpo as perdas dos seus direitos mais fundamentais”, explica Jurema Werneck, diretora executiva da Anistia Internacional Brasil.

O país acumula 595 mil mortes por Covid-19, são mais de 14 milhões de desempregados e aproximadamente 19 milhões de brasileiros com insegurança alimentar. Para a organização, os dados acumulados pelo Brasil são a prova de que os direitos dos brasileiros estão sob ataque.

O relatório também cita a falta de vacinas para a população indígena e quilombola, violações de direitos da população carcerária durante a crise sanitária, e lembra das vidas que poderiam ser poupadas no primeiro ano de pandemia se o país tivesse adotado medidas preventivas de maneira "mais firme e ampla".

Entre outras ações e manifestações de Bolsonaro levantados pela Anistia, estão: o conjunto de intimidações e agressões verbais em sua relação com a imprensa; as ameaças ao estado de direito em atos públicos; a perseguição às organizações não governamentais (ONGs) e os discursos realizados por Bolsonaro na Assembleia Geral da ONU - que chegou a culpar os próprios indígenas pelos incêndios e a devastação da Amazônia. 

A AI também pontua como violações as reverências públicas do governo ao período ditatorial, como quando o Planalto chegou a divulgar um um vídeo exaltando a data do Golpe Militar. E aponta ainda para o afrouxamento do acesso a armas, a partir de decretos federais, especialmente em áreas rurais.  

“Armas não salvam vidas. Para a Anistia Internacional Brasil segurança pública é também agir para que outros tantos direitos sejam garantidos. O que inclui um plano nacional de redução de homicídios e de homicídios cometidos pelas polícias em serviço, sobretudo os que atingem jovens negros de favelas e periferias. Já perdemos João Pedro, Ágatha Félix, Mizael Fernandes da Silva, Kethlen Romeu e tantas outras vidas para uma política de guerra e morte que há mais de 30 anos não resolve o problema”, aponta Jurema. 

Leia mais: Programa do governo Bolsonaro impõe interesses privados em territórios de comunidades tradicionais

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui nosso Catarse

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

boletim40.jpg
boogienaipe.jpg
ileaiyeemsalvador.jpg
juventudeeracismo.jpg