POLíTICA / Segunda, 13 Setembro 2021 12:02

Codeputada trans pernambucana recebe certificado do Guinness World Records

A também advogada Robeyoncé Lima entrou para o ‘Guinness World Records’ como palestrante do painel “Advocacia Feminina em Tempos de Pandemia” no I Congresso Digital Nacional da OAB

Texto: Redação I Imagem: Divulgação/Zito Junior

Advogada e codeputada pernambucana recebe certificado do livro dos recordes
Introdução:

A também advogada Robeyoncé Lima entrou para o ‘Guinness World Records’ como palestrante do painel “Advocacia Feminina em Tempos de Pandemia” no I Congresso Digital Nacional da OAB

Texto: Redação I Imagem: Divulgação/Zito Junior

Pernambuco tem uma mulher negra, trans e natural do estado no livro dos recordes. A codeputada pelas Juntas (PSOL-PE) e advogada, Robeyoncé Lima, acaba de receber o certificado do ‘Guinness World Records’. O título veio após sua participação como palestrante do painel “Advocacia Feminina em Tempos de Pandemia”, no I Congresso Digital Nacional da OAB - Repercussões Jurídicas e Sociais da Pandemia de Covid-19, considerado o maior congresso virtual da área jurídica. 

Realizado em julho de 2020, o evento reuniu 160 painéis, com mais de 700 palestrantes, para 115 mil inscritos, que participaram das discussões, todos de forma voluntária e com transmissão em tempo real dos debates em seis salas virtuais simultâneas. Para além do simbolismo do tamanho do encontro, o congresso também ganhou destaque pelo compromisso com a democratização de discussões sobre temas importantes para a época, como debates e testes de saídas para a crise sanitária. 

 

"Podemos falar desse certificado a partir do simbolismo, mas é mais importante falar dos debates que foram travados no Congresso. De um ano para cá, nós vimos o agravamento das condições sociais e isso se transfere do mundo jurídico para a política, onde também me localizo. Enquanto advogada e parlamentar, consigo fazer essa conexão para incidir na redução dessa vulnerabilidade. Foi um momento importante e muito bom para debatermos sobre as saídas para a crise sanitária, econômica, social e política que, mesmo depois de um ano, ainda continua, e de forma ainda mais agravada", pontuou a codeputada em entrevista à Alma Preta Jornalismo

Leia também: Pensadora trans pernambucana ministra aula em escola internacional de feministas negras

O congresso reuniu, além de advogados, magistrados, ministros, jornalistas, especialistas e acadêmicos, em busca de respostas para o mundo pós-pandemia, debatendo as alterações nas atividades profissionais, no mundo jurídico, no meio ambiente, negócios e novas tecnologias.

De acordo com Raquel Assis, a adjudicadora oficial do ‘Guinness’, o evento foi um acontecimento que rompeu limites e levou informação ao mundo. “O congresso inspirou a cada um dos participantes a analisar e refletir sobre a conjuntura atual, observando como se dá e dará o impacto do momento que vivemos no mundo jurídico e sociedade”, apontou.

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui nosso Catarse

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS