LITERATURA / Quinta, 14 Outubro 2021 17:23

Jornalista paraense homenageia sua região em novo livro de poemas

De autoria do também escritor Uriel Pinho, “Em Belém, Mães estão sempre ensinando seus Filhos que o Rio não é o Mar” reúne 23 textos escritos entre os anos de 2016 e 2018

Texto: Redação I Edição: Lenne Ferreira I Imagem: Divulgação

Jornalista paraense retrata cenários e as águas da sua região em novo livro de poemas
Introdução:

De autoria do também escritor Uriel Pinho, “Em Belém, Mães estão sempre ensinando seus Filhos que o Rio não é o Mar” reúne 23 textos escritos entre os anos de 2016 e 2018

Texto: Redação I Edição: Lenne Ferreira I Imagem: Divulgação

A percepção sobre a terra de origem e os cenários que a contemplam foram fontes de inspiração para o jornalista paraense Uriel Pinho colocar no mundo seu mais novo livro. Intitulado “Em Belém, Mães estão sempre ensinando seus Filhos que o Rio não é o Mar”, a obra reúne 23 textos, escritos entre os anos de 2016 e 2016, e será lançada nesta sexta-feira (15) virtualmente no perfil do Instagram dedicado à obra.

O título narra a época em que o autor fez deslocamentos e passou tempo fora da sua cidade natal, quando se mudou para Niterói (RJ) para cursar mestrado em Cinema e, tempo depois, passou a trabalhar no Amapá, em um projeto de saúde ambiental. “Esses deslocamentos mudaram meu modo de ver a região onde nasci”, diz Uriel. Suas pesquisas sobre cinema paraense e o trabalho em outro estado amazônico começaram a ser material para os poemas.

Uriel afirma que perceber-se como uma pessoa negra em diáspora também foi fundamental para um novo olhar sobre suas origens, contemplando até as águas que o cercavam. “Estar no Estado do Rio de Janeiro, enfrentar as dificuldades de ser um migrante e construir com outras pessoas negras espaços de criatividade foi algo que mudou minha vida e me fez buscar contato poético com uma ancestralidade que vem da Amazônia, mas também do Rio de Janeiro e de África”, reflete. 

Leia também: Escritora baiana ganha prêmio internacional de literatura

“Em Belém, Mães estão sempre ensinando seus Filhos que o Rio não é o Mar” também conta com um time de diferentes estados colaborando. A edição do livro ficou por conta da jornalista paraense Bianca Leão, a arte de capa da ilustradora pernambucana Larissa Constantino e a diagramação com a publicitária paraense Priscila Castro. A professora de Letras Fátima Luíza Santos, da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, assina a contracapa.

O livro poderá ser baixado em formato Kindle e também estará disponível gratuitamente na plataforma de publicação Wattpad até o dia 22 de outubro e contará com versão impressa prevista para o próximo mês. 

Leia também: Slammer do Cerrado: Gilson Cavalcante lança ‘A arte de desmantelar calendários’

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui e apoie a Alma Preta Jornalismo

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

novageracaoskate.jpg
temclimapraisso8.jpg
flagrapmbahia.jpg
anasanches7.jpg