CULTURA / Segunda, 09 Agosto 2021 08:50

Documentário aborda tradições quilombolas da Ilha de Maré, na Bahia

Projeto tem como objetivo fomentar o reconhecimento das tradições das comunidades e estreia na terça-feira (10) pelo Youtube

Texto; Redação | Foto: Divulgação/ Blog JC MeioAmbiente

Quilombolas da Ilha de Maré
Introdução:

Projeto tem como objetivo fomentar o reconhecimento das tradições das comunidades e estreia na terça-feira (10) pelo Youtube

Texto; Redação | Foto: Divulgação/ Blog JC MeioAmbiente

Em memória à história e tradições das comunidades quilombolas da Ilha de Maré, em Salvador (BA), será lançado o documentário “Memórias da Minha Terra", disponibilizado na terça-feira (10), às 19h, no canal do Youtube do projeto. O conteúdo é uma forma de promover a identidade cultural das comunidades da Ilha, rodeada por resquícios culturais dos primeiros habitantes da região, que chegaram ainda no século XVI.

Segundo a Fundação Cultural Palmares, existem 875 comunidades quilombolas certificadas na Bahia e, entre elas, quatro estão localizadas no município de Salvador, sendo uma delas na Ilha de Maré.

Os moradores da Ilha fazem parte de um coletivo de pertencimento, que ajuda a fortalecer e manter as tradições das comunidades quilombolas, formadas por pessoas escravizadas que conseguiam fugir e formar os seus grupos de quilombo, onde se acolhiam e se fortaleciam enquanto povo e corpo cultural.

Com isso, o projeto "Memórias da Minha Terra" tem como objetivo mostrar como a memória e a identidade são importantes no processo de reconhecimento das comunidades quilombolas não só de forma institucional, mas também para os moradores da região.

Uma live de lançamento também será transmitida pelo Youtube e todo o material ficará disponível na plataforma.

Leia também: 

Campanha valoriza conhecimentos e vivências dos quilombolas

O reconhecimento do direito à vida e à saúde quilombola frente à Covid-19

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui e apoie a Alma Preta Jornalismo

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

melly.jpg
cafe.jpg
entrevistalazaroramos.jpg
lucaskinte.jpg