CULTURA / Sábado, 08 Janeiro 2022 08:00

'Quero colocar a Bahia no mundo através da comédia', diz humorista Jhordan Matheus

Crescido na periferia de Salvador, o artista tem se destacado na comédia nacional; conheça sua trajetória

Texto: Redação | Imagem: Juliana das Fotos

Imagem mostra Jhordan Matheus. Ele é um homem negro, com dreads nos cabelos, sorri e usa uma camisa rosa pink. Em uma das suas mãos, segura um microfone.
Introdução:

Crescido na periferia de Salvador, o artista tem se destacado na comédia nacional; conheça sua trajetória

Autor:

Texto: Redação | Imagem: Juliana das Fotos

Nascido em Salvador, na Bahia, Jhordan Matheus começou cedo no mundo da arte. Ainda na infância, o humorista interpretou o personagem “Boa Vida” no filme "Capitães de Areia", baseado no livro de Jorge Amado.

O ator, que possui seis anos de carreira como comediante de stand-up, revela que começou a se identificar com o humor observando as pessoas do seu bairro e como gostavam de fazer graça. “Eu sempre via pessoas ao meu redor que eram muito engraçadas, que faziam a família e os amigos rirem e eu gostava de ver todo mundo rir, mas começar a trabalhar com isso não foi um início fácil”, conta.

Criado no Engenho Velho de Brotas, o humorista  viveu diversos desafios por ser preto, rastafári e vir de um bairro periférico. Além disso, não tinha apoio das pessoas por considerarem ser um trabalho sem estabilidade financeira, mas encontrou nisso uma forma de investir na comédia. “A comédia foi deixando a vida mais leve, eu comecei a rir dos momentos difíceis porque eu tirava daí as coisas boas para falar”, revela.

Jhordan Matheus se mudou para São Paulo, onde se apresentou em diversos palcos do estado com seu show de stand-up, levando as suas vivências de forma engraçada para o público. Porém quando ia a Salvador não tinha tantas oportunidades de se apresentar.

Com um tempo de vivência na capital paulista, a sua vida começou a se transformar e abriu portas em todo país. Com passagem por programas como "Conversa com Bial" (TV Globo), Jhordan Matheus começou o espetáculo "Textani", um show para testar e estruturar seu solo de comédia. Sua apresentação já foi exibida em cidades como Rio de Janeiro e Porto Alegre, realizando seu sonho de ser aplaudido nos maiores palcos do Brasil.

O comediante soteropolitano Jhordan Matheus | Foto: Divulgação/Juliana das FotosO comediante soteropolitano Jhordan Matheus | Foto: Divulgação/Juliana das Fotos

Após quatro anos longe dos palcos soteropolitanos, Jhordan sempre desejou voltar a se apresentar na sua cidade natal, e no último mês de novembro levou seu espetáculo para Salvador. Esgotando ingressos de oito sessões no Teatro Jorge Amado, o comediante considera esse o ponto alto da sua carreira.

“Quando rolou essa virada de chave na minha carreira, eu senti que era a hora de voltar para Salvador. E um moleque do Engenho Velho de Brotas, lotando oito sessões em um dos teatros mais renomados da Bahia, com todo mundo me aplaudindo de pé, foi o ponto alto pra mim”, afirma.

Durante as apresentações na capital, o comediante decidiu o nome do seu espetáculo teste, passando a se chamar “Batenu Tenu”, fazendo referência a uma gíria da cidade.

Para 2022, o artista conta que planeja ampliar os trabalhos no início do ano com o show, e posteriormente, gravar um especial solo de comédia, com foco em Salvador. “Eu quero colocar a Bahia no mundo através da comédia, mostrar de onde eu vim”.

Jhordan Matheus ainda revela que tem a intenção de trabalhar em uma novela como presente para a sua avó. “Minha vó é uma inspiração, uma mulher preta e favelada que fez de tudo para cuidar de mim e hoje eu faço tudo isso para ela. Com certeza tenho que fazer uma novela para ela ficar feliz, é doida para me ver na tela, tenho que realizar isso para ela também”.

Leia também: Atriz Larissa Nunes faz sua estreia em novelas na próxima trama da Globo

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui e apoie a Alma Preta Jornalismo

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

novageracaoskate.jpg
temclimapraisso8.jpg
flagrapmbahia.jpg
anasanches7.jpg