CULTURA / Quinta, 28 Outubro 2021 15:04

Quando completaria 67 anos, Môa do Katendê é homenageado em clipe

Assassinado em 2018, o mestre capoeirista é um dos grandes nomes da cultura afro-brasileira; clipe da música 'Viva Môa' é lançado nesta sexta-feira (29)

Texto: Redação | Imagem: Isabela Rudge

Introdução:

Assassinado em 2018, o mestre capoeirista é um dos grandes nomes da cultura afro-brasileira; clipe da música 'Viva Môa' é lançado nesta sexta-feira (29)

Texto: Redação | Imagem: Isabela Rudge

Neste 29 de outubro Romualdo Rosário da Costa, o Mestre Môa, completaria 67 anos. Para eternizar a vida de um dos maiores nomes da capoeira angola, do afoxé, da dança afro-brasileira e da luta antirracista, é lançado, nesta sexta-feira (29), o videoclipe da música ‘Viva Môa’, no YouTube.

Môa do Katendê foi assassinado a facadas em 8 de outubro de 2018 por um apoiador do, então candidato, Jair Bolsonaro (sem partido), em Salvador. Compositor, percussionista, artesão, educador, dançarino, incentivador do resgate das origens africanas nos blocos de carnaval da Bahia, ele deixou um legado inegável para a cultura afro-brasileira. 

O capoeirista foi reverenciado por grandes nomes da música nacional como Gilberto Gil, Caetano Veloso, Moraes Moreira e Chico César, assim como da música internacional, como Roger Waters, que prestou tributo a Môa durante seu show no Brasil. 

Mestre Môa do Katendê e Mestre Gafanhoto | Créditos: Isabela RudgeMestre Môa e Mestre Gafanhoto | Créditos: Isabela Rudge

A música 'Viva Môa' foi gravada por blocos de carnaval de São Paulo e está no recém-lançado álbum 'Abrindo os Caminhos pro meu Carnaval', do Kaya na Gandaia, em conjunto com os blocos Unidos Venceremos e Afoxé Amigos de Katendê. O videoclipe registra imagens e falas íntimas do mestre de capoeira, ao mesmo tempo que intercala a percussão do ijexá e o vocal do Mestre Gafanhoto com versos líricos repletos de sentimento. A direção é de Bruno Ferrari.

Inspirada na trajetória de vida do capoeirista, a letra traça o percurso de Môa do Katendê em sua proposta de manifestação e valorização da cultura afro-brasileira. O candomblé, o ijexá, a capoeira, e o afoxé se harmonizam e se somam ao coro vocal e ao arranjo, voltado à tradição e aos ensinamentos do mestre.

Leia também: ‘Aprovada na Bahia, Lei Môa do Katendê é comemorada por capoeiristas’

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui e apoie a Alma Preta Jornalismo

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

melly.jpg
cafe.jpg
entrevistalazaroramos.jpg
lucaskinte.jpg