CULTURA / Sexta, 24 Setembro 2021 13:51

Povo Pankararu realiza segunda edição de mostra de música nacional

A II Mostra Pankararu de Música acontece na Aldeia Indígena Bem Querer, no Sertão pernambucano, que começa nesta sexta (24), às 20h; Ailton Krenak, Mateus Aleluia e Djuena Tikuna são algumas das atrações 

Texto: Victor Lacerda I Edição: Lenne Ferreira I Imagem: Divulgação 

 

Povo Pankararu realiza segunda edição de mostra de música nacional; evento começa nesta sexta-feira (24)
Introdução:

A II Mostra Pankararu de Música acontece na Aldeia Indígena Bem Querer, no Sertão pernambucano, que começa nesta sexta (24), às 20h; Ailton Krenak, Mateus Aleluia e Djuena Tikuna são algumas das atrações 

Texto: Victor Lacerda I Edição: Lenne Ferreira I Imagem: Divulgação 

 

É promovendo intercâmbio cultural e imersão de autoconhecimento que o povo Pankararu realiza a II Mostra Pankararu de Música. Em sua segunda edição, o evento será sediado na Aldeia Indígena Bem Querer, no Sertão pernambucano, como tema “Reflorestamento”. Ao todo, três dias de programação - que reunirão exibição de filmes, rodas de conversa e shows - contarão com grandes nomes locais nacionais, com Ailton Krenak, Mateus Aleluia, Djuena Tikuna e Brisa Flow. Evento começa nesta sexta-feira (24), às 20h. 

Para o condutor do evento, Gean Ramos, músico e produtor cultural indígena, a Mostra Pankararu de Música vem com o intuito de promover ao público uma vivência plural a partir dos diálogos e convergências, da troca e da ecologia de saberes, além de proteger e valorizar o patrimônio cultural originário. “A Mostra é para falar de música mas não necessariamente do fazer música. Para nós o Canto, o Toante, o Toré ou a música, está intrínseca a todas as nossas ações, em todos os segmentos. No fim, o cantar é só uma celebração, porque todo processo que a gente vive tem música”, pontua. 

Sobre a temática desta edição, a produtora executiva do evento, Marília Nepomuceno, acredita que, “Reflorestamento” pode ser entendido por diversos olhares e é isso que a mostra propõe. “Evidenciaremos a necessidade de nos reflorestarmos enquanto humanidade. Reflorestar no sentido de quem somos, nossas experiências de vida, nosso cotidiano e maneira de ver e sentir o mundo. Diante dos desafios que estamos atravessando a nível mundial e coletivo, é hora, mais do que nunca, de nos reerguermos, de (re)acessarmos nossas raízes, o que nos compõe e nos traz até aqui”, explica. 

Leia também: Artistas negros (as) de PE integram exposição do Museu da Língua Portuguesa

O encontro musical tem destaques na programação como a exibição da web série “O Canto Pankararu”, a roda de conversa “O Mundo que Enfrentamos Hoje", que conta com a participação de Ailton Krenak e Elisa Urbano, além dos espetáculos FYKYA, de Leo Pankararu, e Dança do Buzzo, dança e celebração de tradição Pankararu. Rodas de conversas, rituais pankararu, além de espetáculos musicais e de dança também farão parte. 

Para Leonardo Silva (Fykya Pankararu), indígena LGBT pertencente ao povo Pankararu, cantador, compositor, performer, roteirista e ativista, a sua participação no evento proporciona conhecer como a arte é capaz de demonstrar sentimentos tornando as pessoas cada vez mais sensíveis. “Me ver cantando no palco foi uma honra, fiquei muito feliz, até porque eu, assim como muitos jovens Indígenas, da aldeia e da cidade nunca havia imaginado que um dia apresentaria obras minhas para tantas pessoas. Isso me proporcionou aprendizados significativos que também se tornaram parte de uma base de suporte criada pelos ancestrais e que se conecta de forma poética e carismática com o presente”, declara o artista, em conversa com a Alma Preta Jornalismo.

A II Mostra Pankararu de Música estará disponível gratuitamente com exibição em plataforma digital. Contando com incentivo da Natura Musical, através do Edital Natura Musical 2020, pode ser acompanhada no YouTube e a programação completa está disponível no perfil oficial do Instagram

Leia também: Ciranda nordestina conquista título de Patrimônio Imaterial do Brasil

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui e apoie a Alma Preta Jornalismo

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

rashidfala.jpg
insdefesa.jpg
devassashow.jpg
manifestantesmarchamnacn.jpg