CULTURA / Terça, 03 Dezembro 2019 18:14

‘Magia Negra’ celebra potência da música independente e alternativa no Aparelha Luzia

Show será na noite de 5 de dezembro, no espaço cultural localizado na região central da cidade de São Paulo

Texto / Nataly Simões | Edição / Simone Freire | Imagem / Divulgação

Na noite de quinta-feira (5), o show “Magia Negra” reúne os artistas Bruna Black, Naaya Lelis, Timm Arif e Warley Noua, na Aparelha Luzia, em São Paulo (SP), para celebrar a potência da música independente e alternativa contemporânea. Com repertório autoral, os quatro artistas vão levar para o palco referências de ritmos como o mpb, rap e soul.

Timm Arif conta que os músicos ainda não se apresentaram juntos, mas têm características semelhantes. “Eu acredito que a poesia salva vidas e eu coloco na música o que eu sinto. Nós quatro temos isso em comum, colocamos o que somos no que fazemos. Já assisti o show de Warley Noua e tive essa sensação de proximidade. A Bruna Black tem uma essência musical que eu gosto muito. Já a Naaya Lelis traz sensibilidade à música, me levando para outro lugar cada vez que eu a escuto. Ao ver isso neles, eu me vi, e por isso eu acho a música poderosa”, conta.

Essa é a primeira edição do “Magia Negra”, organizado pelo “Wimbi - Uma Onda Sobre a Outra”, selo pertencente aos artistas Timm Arifi e Naaya Lelis. O evento faz parte da programação oficial da Semana Internacional de Música, uma das feiras de música mais importantes da América Latina.

De acordo com Timm Arif, a ideia de dar ao show o nome de “Magia Negra” surgiu para ressignificar o termo. “A palavra ‘negro’ dentro de uma magia sempre foi vista de forma pejorativa, além de ter sido demonizada pelas pessoas que criminalizam a nossa cor e tudo o quer diz respeito ao nosso povo”, explica.

Para todas as pessoas interessadas em conseguir assistir ao show, a organização do evento optou pela entrada com ingressos colaborativos, ou seja, o público desembolsa o valor que tiver condições.

Segundo Naaya Lelis, o mais importante é o público estar unido para um único propósito: celebrar a cultura negra. “Nossa cultura não é importante só nesta noite, mas estar entre os nossos, mesmo sem conhecer todas as pessoas, é essencial para celebrarmos tantas outras coisas. A vida não é fácil, mas precisamos estar unidos e a música é um meio de resistirmos, de nos reconhecermos e nos identificarmos”, conta.

Serviço

Data: 5 de dezembro, quinta-feira, a partir das 19h

Onde: Aparelha Luzia | Rua Apa, 78, Campos Elíseos, São Paulo - SP

Ingresso colaborativo e classificação livre.

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui e apoie a Alma Preta Jornalismo

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

melly.jpg
cafe.jpg
entrevistalazaroramos.jpg
lucaskinte.jpg