CULTURA / Quarta, 28 Julho 2021 09:23

Tiganá Santana, primeiro brasileiro a compor em línguas africanas, ganha websérie

Conteúdo é inspirado nos álbuns produzidos pelo artista ao longo de uma década; primeiro episódio já pode ser visto no Youtube

Texto: Redação | Imagem: Divulgação / José de Holanda

Introdução:

Conteúdo é inspirado nos álbuns produzidos pelo artista ao longo de uma década; primeiro episódio já pode ser visto no Youtube

Texto: Redação | Imagem: Divulgação / José de Holanda

O cantor e compositor Tiganá Santana fala sobre sonoridades, filosofia e modos de estar no mundo na websérie 'Os Sons do Pensamento', pensada a partir dos álbuns gravados pelo artista baiano ao longo da última década (2010 a 2020). O também pesquisador é o primeiro brasileiro a fazer composições em línguas africanas: kikongo e kimbundu, línguas originárias da Angola e do Baixo Congo. 

A websérie é dividida em quatro episódios que levam o nome dos álbuns do artista. O primeiro, já disponível no Youtube, se chama Maçalê (você é um como a sua essência, em tradução livre), e aborda as referências culturais e existenciais por meio das cosmologias bantu-africanas e iorubanas no Brasil.

"Podemos aprender um mundo com as diversas filosofias africanas, que estão baseadas em um pensar que inclui uma prática e um comportamento e, em muitos desses pensares, há um senso de comunidade que é absolutamente fundamental", cita o artista sobre Maçalê, primeiro álbum na história fonográfica do Brasil em que um autor apresenta suas canções em línguas africanas.

No segundo episódio, que leva o nome 'The invention of colour' (A invenção da cor), Tiganá reflete sobre a ancestralidade guiada a partir do violão-tambor, instrumento cujo timbre ele mesmo concebeu. No terceiro episódio, o artista fala sobre o álbum 'Tempo & Magma' e a elaboração da ponte estético-musical que estabaleceu com países da África Ocidental, região onde ele vivenciou quatro meses de residência artística no Senegal.

Já no último episódio, os álbuns 'Vida-Código' e 'Milagres', lançados em 2020, são as referências para falar do retorno de Tiganá Santana para Salvador, onde gravou um dos álbuns. O trabalho em 'Vida-Código' foi eleito pelo jornal francês Le Monde como um dos melhores álbuns lançados em 2020 em todo o mundo. Já 'Milagres' é uma releitura do emblemático álbum 'Milagre dos Peixes', de Milton Nascimento, lançado originalmente em 1973 com todas as suas letras censuradas pela ditadura militar.

Os episódios são sempre disponibilizados às terças, às 20h, no canal do Youtube do Sesc 24 de Maio. O conteúdo faz parte da segunda edição do projeto 'Música de Fronteira'.

Leia também: Nei Lopes: nada (e tudo) de novo no front

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui nosso Catarse

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

juventudeeracismo.jpg
boletim39.jpg
ccsp.jpg
umanobetofreitas.jpg