CULTURA / Domingo, 06 Junho 2021 18:53

Afrodrag e cantora diaspórica Barbárie Bundi reflete afetividade negra em seu álbum de estreia

AQUÁTIKA traz cinco composições inéditas: Aquátika, Água do Congo, Água-Viva, Pega Eu e Kimbanda; O álbum será lançado no próximo dia 13 de junho, em todas as plataformas digitais de música

Texto: Redação | Imagem: Aycusali/Divulgação

Imagem de divulgação. Na foto, a artista Barbárie com maquiagem e acessórios de tradição africana, encarando para a frente. De turbante verde e cabelo cacheado volumoso e meio grisalho, divulga seu primeiro álbum.
Introdução:

AQUÁTIKA traz cinco composições inéditas: Aquátika, Água do Congo, Água-Viva, Pega Eu e Kimbanda; O álbum será lançado no próximo dia 13 de junho, em todas as plataformas digitais de música

Texto: Redação | Imagem: Aycusali/Divulgação

Com direção artística e musical de Caboclo de Cobre, produção de Marcelo Sant'anna da AquaHertz Beats, AQUÁTIKA é o primeiro mergulho sonoro de Bundi na reflexão sobre afetividade negra, sobre Dengo, palavra de origem kimbudu, que em seu sentido mais profundo e ancestral significa o encontro entre negrxs. "Nessa sociedade racista, o amor está articulado ao mundo branco. Para nós negrxs, ele não funciona. Não é um álbum de baladas românticas. É uma afrofabulação, um trabalho de cura, de reconexão ancestral, de kimbandaria, de amor, de encontro. Aquatika é meu corpo abrindo um espaço líquido de memórias.", reforça a afrodrag, nascida nos bares e esquinas do centro e periferia soteropolitana.

De acordo com Barbárie Bundi, AQUÁTIKA propõe um encontro consigo, com o outro e "é a minha maneira de falar para todas as bixas pretas que estamos juntas". "Para nós de candomblé, a água representa cura e eu queria fazer um trabalho que também pudesse ajudar no equilíbrio do Orí/cabeça, por isso emerjo em uma fábula aquática. Apesar de toda violência social que vivenciamos, não queria que o álbum fosse um trabalho sobre dor, mas que se tornasse um apontamento de caminho, de futuro".

 

AQUÁTIKA é um álbum que tem uma linha narrativa que conduz a uma dramaturgia de mergulho, conhecimento, cura, afeto e troca de afetividade entre pretxs, e finaliza com reforçando todo o poder/feitiçaria que a bixa preta carrega nas mãos e no corpo. Após o lançamento do EP, Bundi lançará no instagram, nos dias 08, 10, 12 e 14 de junho, vídeos diários a respeito de cada música e trajetória da artista.

Além dos vídeos, ocorre no dia 28 de junho uma live show desse novo e primeiro trabalho da multiartista, que deve ainda este ano virar uma obra audiovisual. Com músicas autorais e de Caboclo de Cobre, Daniel Arcades, ISSA e participação de Apenas Herverton e Joker Guiguio na percussão.

Confira também:

Disco inédito e em espanhol mostra versatilidade e bom humor de Tim Maia

Luiza Loroza lança primeiro single da carreira em resposta ao pai, Serjão Loroza

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui nosso Catarse

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS