COTIDIANO / Sexta, 28 Janeiro 2022 14:19

Uso de câmeras em uniformes da PM diminuem a letalidade policial em 83%

O batalhão da Rota, considerado um dos  mais letais da corporação, também passou a usar câmeras em seus uniformes. Os dados apontam que entre esses policiais a redução foi de 89%

 

Texto: Redação | Imagem: Governo de São Paulo

A imagem mostra três policiais do estado de São Paulo. Eles estão fardados e utilizam máscara contra a covid-19. No uniforme estão as câmeras do programa Olho Vivo
Introdução:

O batalhão da Rota, considerado um dos  mais letais da corporação, também passou a usar câmeras em seus uniformes. Os dados apontam que entre esses policiais a redução foi de 89%

 

Autor:

Texto: Redação | Imagem: Governo de São Paulo

Dados inéditos obtidos pelo jornal Folha de S.Paulo apontam que nas 18 unidades integrantes do programa Olho Vivo, a redução no número de pessoas mortas em supostos confrontos com a polícia no estado de São Paulo chegou a 83% nos últimos sete meses do ano passado, comparados ao mesmo período de 2020. Se contar todas as medidas implementadas no estado elas somam uma diminuição de 36% na letalidade policial.

“Em números absolutos, foram 110 mortes decorrentes de intervenção policial entre 1º de junho a 31 de junho de 2020 nesses batalhões. Já no ano passado foram 17 mortes em supostos confrontos. Em 2019, no mesmo período, a Corregedoria registrou 165 mortes – queda de 90%”, mostrou a reportagem.

O batalhão da Rota, considerado um dos mais letais da corporação, também passou a usar câmeras em seus uniformes. Os dados apontam que entre esses policiais a redução foi de 89%.

Em relação aos números de letalidade no restante do estado, ainda de acordo com dados oficiais, os PMs mataram durante o serviço, no ano passado, um total de 423 pessoas em supostos confrontos. Isso significa uma redução de 36% em comparação ao total de 659 mortes registradas em 2020 - a menor taxa de letalidade da PM paulista desde 2013 (com 334 óbitos).

Atualmente, a PM paulista tem cerca de 3.000 câmeras em funcionamento nos 18 batalhões integrantes do programa Olho Vivo. O sistema atual utilizado pela corporação tem uma tecnologia inédita no mundo e grava todo o turno de serviço, sem a necessidade de acionar o botão de gravar.

A reportagem afirma que até o início de fevereiro serão mais de 2.500 adicionadas ao programa, o que ele eleva de 18 para 33 o número de batalhões no estado de São Paulo. Até agosto, serão mais 4.500 câmeras incorporadas. Com isso, até o fim deste ano, 10 mil equipamentos devem estar em uso.

Leia mais: Cerca de 80% dos resgatados em trabalho escravo em 2021 são negros

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui e apoie a Alma Preta Jornalismo

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

novageracaoskate.jpg
temclimapraisso8.jpg
flagrapmbahia.jpg
anasanches7.jpg