COTIDIANO / Quarta, 24 Março 2021 13:35

Uber e Frente Antirracista fazem parceria para levar idosos aos postos de vacinação

Segundo integrantes de organizações do movimento negro, ação vai facilitar o acesso da população negra mais velha à imunização

Texto: Redação | Imagem: Charles Platiau

Uber e Frente Antirracista fazem parceria para levar idosos aos postos de vacinação
Introdução:

Segundo integrantes de organizações do movimento negro, ação vai facilitar o acesso da população negra mais velha à imunização

Texto: Redação | Imagem: Charles Platiau

A Uber e a Frente Nacional Antirracista (FNA) se uniram em uma ação de logística para que as pessoas que integram organizações do movimento negro possam levar a comunidade negra, principalmente os idosos, aos postos de vacinação da Covid-19.

“É muito importante que empresas do tamanho da Uber olhem para a população preta, neste momento de vacinação, para que a gente consiga sair deste péssimo período logo. Temos certeza que vai ajudar muito na logística de vacinação”, Priscila França, do Instituto Equânime, uma das lideranças do movimento negro brasileiro, que integra a Frente.

Os vouchers contemplam viagens de R$ 30 (ida e volta, R$ 60), para as pessoas, que integram a FNA, levarem os seus pares mais idosos para se vacinarem, nos postos.

“A vacinação é um bem de todos, e a comunidade negra tem que participar deste processo. Com a Uber ajudando na logística, conseguiremos vacinar mais pretos em menos tempo, o que será saudável para toda a sociedade”, comemorou Ivanir dos Santos, conselheiro Estratégico do Centro de Articulações de População Marginalizada (CEAP), interlocutor da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR), entidades que também integram a Frente.

A empresa de transporte particular por aplicativo foi uma das gigantes a anunciar em 2020 um plano antirracista. Em julho, a marca afirmou que investiria 10 milhões de dólares em um plano para apoiar funcionários, parceiros e clientes negros e que também iniciaria um programa para ampliar a diversidade em cargos de liderança.

Conforme informou à época, os US$ 10 milhões seriam destinados em até dois anos para pequenas empresas de pessoas negras por meio de promoções e apoio comercial para aumentar a demanda nas localidades. As medidas de combate ao racismo, também pretendia facilitar denúncias de discriminação por meio do aplicativo de transporte.

Leia também:

Demora para vacinação causa angústia em idosos da periferia

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui nosso Catarse

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

ccsp.jpg
umanobetofreitas.jpg
boletiim38.jpg
racismoemeioambientecop26.jpg