COTIDIANO / Quarta, 21 Julho 2021 08:42

Proibida de usar vestido de noiva por ser negra, idosa realiza sonho aos 94 anos

Martha Tucker se casou em 1952 e nunca pôde experimentar o traje por causa da segregação racial nos EUA

Texto: Redação | Foto: Divulgação/Angela Strozier

Introdução:

Martha Tucker se casou em 1952 e nunca pôde experimentar o traje por causa da segregação racial nos EUA

Texto: Redação | Foto: Divulgação/Angela Strozier

A história emocionante de Martha Tucker, de 94 anos, tem repercutido na internet após ela realizar o sonho de usar um vestido de noiva pela primeira vez após 70 anos. A idosa, que se casou em 1952, nunca havia experimentado o traje pois era proibida de entrar nas lojas de noiva por ser negra.

Nascida no Alabama, nos Estados Unidos, Martha vivia na época da segregação racial, quando a população negra era impedida de frequentar os mesmos espaços do que os brancos e eram estigmatizados.

 

Na cidade, não havia lojas de noiva para as mulheres negras. “Se você comprasse alguma coisa, precisava ir ao porão e pegar as coisas usadas”, disse Tucker ao The Washington Post.

Tucker e o marido se casaram em uma cerimônia simples na sala de um pastor e o fato de não poder ter usado o vestido dos sonhos sempre a comoveu. “Sempre fiquei triste com isso porque senti que deveria poder usar se quisesse”, relatou a idosa.

Quem ajudou a realizar esse sonho foi a neta de Tucker, Angela Strozier, que soube da história e resolveu dar um dia de princesa para a avó. Primeiro, Angela levou a avó para um almoço, para fazer maquiagem e, enfim, a tão esperada loja de vestidos de noiva.

“Eu queria que ela entendesse que um sonho adiado não precisava ser um sonho negado”, contou Angela.

MARTHA TUCKER NETA“Eu queria que ela entendesse que um sonho adiado não precisava ser um sonho negado”, contou Angela. | Foto: Erica Tucker

Sobre a realização do sonho, Martha Tucker disse: “Isso me fez sentir como uma noiva de verdade. Eu gostaria de estar com aquele vestido quando me casei [...] Eu gostaria que ele pudesse ter me visto com ele”, disse Tucker sobre o marido, que morreu em 1975.

Leia também: Revista independente aposta em artistas e empreendedores negros inovadores

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui nosso Catarse

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS