COTIDIANO / Sábado, 24 Abril 2021 19:18

Pesquisa mostra que metade das famílias sul-africanas estão sem comida devido a Covid-19

Todos os grupos populacionais foram afetados, principalmente a metade dos indianos e negros que hoje passam fome, de acordo com a pesquisa

Fonte: SABCNews | Imagem: Reprodução/Unicef

Na foto, imagens de crianças indianas com pratos nas mãos esperando receber a comida de uma figura feminina com uma bacia maior em seus braços, representando a fome causada pela covid-19 na África do Sul
Introdução:

Todos os grupos populacionais foram afetados, principalmente a metade dos indianos e negros que hoje passam fome, de acordo com a pesquisa

Fonte: SABCNews | Imagem: Reprodução/Unicef

Uma pesquisa do instituto Ipsos mostra que metade das famílias da África do Sul estão sem comida devido a pandemia da Covid-19, aumentando a preocupação de que milhões de sul-africanos desnutridos possam sofrer de doenças graves caso uma terceira onda de contágio do vírus atinja o país e atinja a população com o sistema imunológico frágil.

“É interessante notar que o top 3 em problemas sociais e econômicos, que são as províncias de Cabo Oriental, KwaZulu-Natal, bem como o noroeste obtiveram grandes índices.

Por exemplo, no Kwazulu-Natal, Cabo Oriental e no Noroeste, o impacto de perda de rendimentos ultrapassou os 60% e o sofrimento por stress e outras doenças passou também dos 60%, assim como o sofrimento da fome. Quer dizer, todos eles foram registrados em situação de emergência e estavam entrando em uma crise”, disse o CEO temporário da Operação Fome, Sandy Bukula. 

A pesquisa da Ipsos  também mostra que, na época do trabalho de campo, mais de 40% dos sul-africanos de todas as idades foram afetados pela fome. “Todos os grupos populacionais foram afetados, com cerca de metade dos índios e negros passando fome. Essa também é a realidade de quatro em cada dez pessoas de cor e três em cada dez pessoas brancas.”

Os trabalhadores humanitários expressaram preocupação com o agravamento do impacto da pandemia da Covid-19 no Cabo Oriental, KwaZulu-Natal e no Noroeste. Isso ocorre em meio a um número crescente de infecções no país.

Na sexta-feira (23) à noite, a África do Sul registrou mais um aumento nacional de mais de 1000 casos de coronavírus. O departamento de saúde informou que 1.637 pessoas testaram positivo para o vírus no último período do relatório.

KwaZulu-Natal tem de longe o maior número de casos positivos de coronavírus, com mais de 5.000.

Confira também:

Projeto de cultivo de verduras e legumes ajuda a matar a fome nas periferias

‘Nós por nóis’: Artistas urbanos se mobilizam para conter aumento da fome

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui nosso Catarse

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

ccsp.jpg
umanobetofreitas.jpg
boletiim38.jpg
racismoemeioambientecop26.jpg