COTIDIANO / Segunda, 11 Outubro 2021 18:27

Justiça limita poderes de Camargo na Fundação Palmares

Decisão ocorre depois de pedido do Ministério Público do Trabalho de afastamento do presidente da Palmares; juíz também proibiu a prática de“cyberbullying” nas redes sociais de Sergio Carmargo; ele não pode exonerar e nomear funcionários

Texto: Pedro Borges I Edição: Juca Guimarães I Imagem: Agência Brasil

sergio camargo foi proibido de exonerar e contratar funcionários
Introdução:

Decisão ocorre depois de pedido do Ministério Público do Trabalho de afastamento do presidente da Palmares; juíz também proibiu a prática de“cyberbullying” nas redes sociais de Sergio Carmargo; ele não pode exonerar e nomear funcionários

Texto: Pedro Borges I Edição: Juca Guimarães I Imagem: Agência Brasil

O presidente da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Camargo, foi afastado de todas atividades relativas à gestão de pessoas, como nomear e exonerar funcionários ou cancelar e contratar empresas terceirizadas. A determinação foi feita pelo juiz da 21ª Vara do Trabalho de Brasília, Gustavo Carvalho Chehab, no dia 11 de outubro, segunda-feira.

A decisão do juiz é uma resposta ao pedido do procurador Paulo Neto, integrante do Ministério Público do Trabalho (MPT), de afastar Sérgio Camargo da presidência do órgão. De acordo com o Ministério Público do Trabalho, Camargo praticou assédio moral em mais de uma oportunidade.

O documento do MPT destaca que Camargo “iniciou um verdadeiro processo de perseguição ideológica daqueles que trabalham na instituição e de intimidação do trabalho técnico objeto da Fundação, inclusive contra o patrimônio religioso de matriz africana. Indica que restou configurado assédio moral institucional, caracterizada por um conjunto de falas, discursos e posicionamentos e de postura que se espalha por toda a 1ª ré e que amplia o tratamento degradante e a violência contra servidores e empregados”.

O juiz também determinou que Sérgio Camargo não pratique o “cyberbullying” nas redes sociais, com a proibição de atos de intimidação, perseguição, constrangimento, assédio, entre outros. A nota publicada pela 21ª Vara do Trabalho de Brasília sinaliza um contato com o Twitter, rede social onde Camargo costuma atuar, para que fiscalize o comportamento do atual presidente da Fundação Palmares.

Outras denúncias

A Coalizão Negra por Direitos, organização que reúne cerca de 200 entidades do movimento negro, protocolou denúncia ao presidente da Fundação Cultural Palmares na ONU por “violar os direitos humanos e os interesses da população negra”. O pedido foi feito em 22 de Julho de 2021.

A Alma Preta Jornalismo também entrou em contato com antigos colegas de trabalho de Sérgio Camargo. Em diálogo com a reportagem, ex-companheiros de redação compartilharam situações de assédio moral por parte do atual presidente da Palmares.

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui e apoie a Alma Preta Jornalismo

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

memorialdasbaianas.jpg
izabelasantos02.jpg
racismoambientaltv01.jpg
iluoba.jpg