COTIDIANO / Sexta, 06 Março 2020 10:20

“O candomblé precisa do outro para existir”, diz a ialorixá Nivia Luz

Nivia Luz, ialorixá do Terriero Ilè Asè Oyá,  é a convidada da semana do Guia Negro Entrevista

Texto: Redação | Imagem: Pablo Saborido

Presidente do Instituto Oya, turismóloga e ialorixá do Terriero Ilè Asè Oyá, Nivia Luz é mestre em Cultura e Sociedade pela UFBA e a convidada da semana do Guia Negro Entrevista.

O terreiro que chefia em Pirajá, na periferia de Salvador, abriga ainda o bloco Cortejo Afro. Jovem, ela é feminista, militante contra o racismo e intolerância religiosa.

Na entrevista, Nivia fala sobre os preceitos do candomblé. Os elementos que compõem a natureza são a premissa da religião. A base é essa relação de energia com o que está posto, afirma.

Nivia gosta de viajar, é feminista, ligada à pauta LGBT e atuante na luta contra o racismo e a intolerância religiosa. Nesse sentido, ela diz que vê as visitas turísticas aos terreiros com cautela por achar que deve haver respeito e um objetivo.

Confira a entrevista completa no YouTube.

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui e apoie a Alma Preta Jornalismo

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

memorialdasbaianas.jpg
izabelasantos02.jpg
racismoambientaltv01.jpg
iluoba.jpg