Vereadora Luana Alves protocola pedido de lockdown para evitar colapso na saúde de SP

Medida urgente seria por 15 dias com políticas públicas de manutenção de renda e proteção da população; prefeitura tem R$ 19 bilhões em caixa, segundo a líder do PSOL na Câmara Municipal

Texto: Juca Guimarães I Edição: Nataly Simões I Imagem: Gabinete/Luana Alves

lockdown
Introdução:

Medida urgente seria por 15 dias com políticas públicas de manutenção de renda e proteção da população; prefeitura tem R$ 19 bilhões em caixa, segundo a líder do PSOL na Câmara Municipal

Texto: Juca Guimarães I Edição: Nataly Simões I Imagem: Gabinete/Luana Alves

A vereadora Luana Alves, líder do PSOL na Câmara Municipal de São Paulo, protocolou um projeto de lei determinando com urgência a implantação de um lockdown pelo período de 15 dias para evitar que os casos de Covid-19 continuem a crescer. Além do fechamento geral de serviços, atividades e estabelecimentos comerciais, a medida exige que sejam adotadas políticas de proteção da população.

De acordo com a vereadora, caso não seja decretado um lockdown, essa fase da pandemia está muito perto de provocar um colapso no sistema de saúde com consequências muito graves para toda a população da cidade.

“Colapso é o sistema de saúde não ter condições de atender nem urgências e emergências. É isso que vai acontecer se a gente não desacelerar o ritmo da disseminação do vírus. Por isso, é lockdown com política de manutenção de renda e emprego. A prefeitura tem R$ 19 bilhões em caixa e precisa fazer esse investimento neste momento. Precisa de uma política séria. Não dá para fazer lockdown pela metade ou meio isolamento social”, diz a vereadora.

Entre as atividades que o projeto de lei propõe que ficam proibidas nos 15 dias de lockdown estão: escolas, shopping, academias, clubes, casas noturnas e boates. Como exceção, a proposta libera os supermercados, farmácias, barracas de gêneros alimentícios nas feiras-livres, posto de gasolina, mercadinhos, clínicas veterinárias e pet shops.

Luana também propôs que a prefeitura comece imediatamente uma campanha de preparação da cidade para o lockdown. “Precisa preparar o comércio, preparar as pessoas que podem ser prejudicadas com o lockdown, só assim vai ser possível algum sucesso no combate ao vírus”, argumenta.

Segundo os dados da Secretaria Municipal de sSúde, foram confirmadas 20.034 mortes por Covid-19 na cidade de São Paulo, entre março de 2020 e o dia 2 de março de 2021. Outras 27.114 mortes neste mesmo período são suspeitas de terem sido causadas pelo vírus. Apenas nos últimos sete dias, de 23 de fevereiro a 1º de março, foram registradas 578 mortes por Covid-19 na cidade.

Os casos de contaminação confirmados na capital, de acordo com o boletim da prefeitura, somam 635.969 doentes. Nunca foi feito um lockdown na cidade.

A vereadora Luana Alves tem 27 anos e é militante do movimento negro. Ela é psicóloga, formada pela USP (Universidade de São Paulo) e é também especialista nas áreas de “Saúde Coletiva” e “Atenção Primária”. Luana já trabalhou em Unidades Básicas de Saúde, as UBSs do SUS, na zona Oeste da cidade.

Apoie jornalismo preto e livre!

O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos  equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

Acesse aqui nosso Catarse

Image

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS