COTIDIANO / Sexta, 16 Julho 2021 11:16

Líder comunitária cobra direito de resposta após ser chamada de 'ignorante' por apresentador da Record TV

A ativista quilombola de Salvador diz que comentário proferido por apresentador do programa Balanço Geral da Bahia foi feito de forma "preconceituosa e discriminatória"

Texto: Dindara Ribeiro | Edição: Nataly Simões | Foto: Reprodução/Youtube

A ativista Eliete Paraguassu
Introdução:

A ativista quilombola de Salvador diz que comentário proferido por apresentador do programa Balanço Geral da Bahia foi feito de forma "preconceituosa e discriminatória"

Texto: Dindara Ribeiro | Edição: Nataly Simões | Foto: Reprodução/Youtube

A ativista quilombola e líder comunitária da Ilha de Maré, em Salvador, Eliete Paraguassu, divulgou uma nota de repúdio e um abaixo-assinado em que pede direito de resposta após ser chamada de "ignorante" pelo apresentador do programa Balanço Geral da TV Record (Bahia), Zé Eduardo, conhecido como "Bocão".

A fala do apresentador da emissora foi feita durante a exibição de um protesto realizado por integrantes da associação comunitária da Ilha, Porto dos Cavalos, Martelo e Ponta Grossa. Eles acusam Eliete de ter fraudado as eleições para a liderança comunitária e de ter desviado cestas básicas para moradores da região.

Eliete, que é marisqueira e militante do Movimento dos Pescadores e Pescadoras e da Articulação Nacional das Pescadoras, desmentiu a acusação e classificou o protesto como um "processo calunioso e difamatório vindo de um grupo da própria comunidade com interesses escusos ou inescrupulosos".

Segundo a nota de repúdio, assinada por 70 movimentos e organizações, os comentários do apresentador Zé Eduardo foram feitos "de forma austera, preconceituosa e discriminatória" e que "reforça os ataques se referindo à mesma como ignorante".

"Essas afirmações não só violam os direitos individuais de Eliete Paraguassu, mas atacam a imagem de uma mulher íntegra, idônea e uma ativista do movimento social reconhecida internacionalmente por sua atuação nas lutas comunitárias [...] A imprensa é também responsável perante a comunidade por averiguar as informações antes da divulgação, pautando-se nos direitos humanos que proíbem qualquer forma de discriminação", diz um trecho da nota, que também solicita retratação pública do apresentador.

A Alma Preta Jornalismo entrou em contato com a produção do programa Balanço Geral, da Record TV Itapoan, que informou que daria um retorno. Até a publicação deste texto, a reportagem não obeteve resposta.

Confira também:

ESPECIAL | Conhecimento passado de mãe para filha garante a manutenção de comunidades tradicionais

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui e apoie a Alma Preta Jornalismo

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

melly.jpg
cafe.jpg
entrevistalazaroramos.jpg
lucaskinte.jpg