COTIDIANO / Quinta, 01 Setembro 2022 18:36

Homem negro em situação de rua é preso por furtar quatro caixas de chocolate

Juíza determinou a prisão preventiva de Roberto* por conta do histórico de condenações por furto e por não ter endereço fixo

Texto: Pedro Borges I Edição: Elias Santana Malê I Imagem: Divulgação/Steven Lim/EyeEm

Introdução:

Juíza determinou a prisão preventiva de Roberto* por conta do histórico de condenações por furto e por não ter endereço fixo

Autor:

Texto: Pedro Borges I Edição: Elias Santana Malê I Imagem: Divulgação/Steven Lim/EyeEm

Roberto, um homem negro de 31 anos, furtou quatro caixas de chocolate em um supermercado de Guaianazes, zona leste de São Paulo. A juíza Julia Alvim pediu a prisão preventiva de Roberto por conta de condenações passadas pelo crime de furto, por ter sido preso em flagrante e por não ter endereço fixo.

Na audiência de custódia, ele alegou ser uma pessoa em situação de rua, sem qualquer pessoa para comunicar a prisão e sem recursos para um advogado de defesa. Ele foi logo direcionado para a Defensoria Pública do Estado. A audiência de custódia ocorreu no dia 18 de agosto, às 13h, com a promotora de justiça Francine Sanches e a defensora pública Fernanda Macedo. 

"O autuado é multireincidente específico, possuindo diversas condenações anteriores pela prática de crimes de furto", escreve Julia Alvim no processo. Os documentos da justiça apontam que Roberto cumpria pena, com a saída do sistema penitenciário em maio de 2022. Ele já foi condenado 10 vezes por furto, artigo 155 do código penal.

Para a juíza Julia Alvim, isso representa a necessidade do pedido de prisão preventiva para "evitar a reiteração delitiva, eis que em liberdade já demonstrou concretamente que continuará a delinquir, o que denota o perigo gerado pelo estado de liberdade do autuado".

No dia 17 de agosto, às 12h30, Roberto entrou no supermercado em Guaianazes, pegou algumas barras de chocolate, avaliadas em R$ 489,30, e tentou fugir do estabelecimento, quando foi impedido pelos seguranças do estabelecimento.

Depois de ser imobilizado pelos seguranças do local, foi levado para o 63º Distrito Policial da Vila Jacuí, pelos policiais Eduardo de Paula e Robson Romão. O caso foi registrado pelo delegado Victor Martins.

O responsável pela segurança do mercado relatou que Roberto "selecionou algumas caixas [de chocolate], colocando as dentro de sua bolsa. Após, coloca a bolsa nas costas, pula a grade dos caixas, e se direciona a saída da loja".

*Roberto é um nome fictício escolhido para preservar a imagem da pessoa

Leia também: Policiais militares espancam vendedor ambulante

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui e apoie a Alma Preta Jornalismo

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

rashidfala.jpg
insdefesa.jpg
devassashow.jpg
manifestantesmarchamnacn.jpg