COTIDIANO / Segunda, 02 Agosto 2021 09:50

Histórias de terreiros afro-indígenas do sul da Bahia são contadas em podcast

Conteúdos trazem depoimentos de líderes religiosos de matrizes afro-indígenas; Lançamento acontece nesta segunda (2) no perfil @sitiodasmatas

Texto: Redação | Foto: Reprodução/@sitiodasmatas

Introdução:

Conteúdos trazem depoimentos de líderes religiosos de matrizes afro-indígenas; Lançamento acontece nesta segunda (2) no perfil @sitiodasmatas

Texto: Redação | Foto: Reprodução/@sitiodasmatas

Como forma de valorizar e resguardar as tradições orais dos povos originários, o projeto Itan T’ilê lança o podcast "Histórias de Terreiros do Sul Baiano", que conta as histórias de terreiros de religiões afro-indígenas presentes em cidades na região sul da Bahia, como candomblé, umbanda e jurema sagrada.

Partindo da cidade baiana de Itacaré, as histórias serão contadas por pais e mães de santo, rezadeiras e demais representantes das religiões, que, sob suas próprias perspectivas, trarão depoimentos sobre as tradições, a importância da oralidade e espiritualidade para os povos originários.

“Nós zelamos pelo desenvolvimento espiritual das pessoas para que ele seja um apoio e ofereça estrutura emocional, social, cultural e física para a comunidade, em meio a tantos problemas, agravados ainda mais pela pandemia. A memória coletiva de nosso povo é parte fundamental desse processo, e só pode ser contada por nós, que temos interesse e autoridade para isso”, diz Ronaldo Eli, juremeiro e zelador responsável pelo Sítio das Matas, terreiro dedicado ao culto dos encantados da Jurema Sagrada no Quilombo Santo Amaro, em Itacaré.

O primeiro episódio será lançado nesta segunda-feira (2), às 19h, no Instagram @sitiodasmatas. Os conteúdos também podem ser escutados nas plataformas Spotify e Soundcloud. Todo conteúdo foi produzido de forma virtual por causa da pandemia do novo coronavírus.

Antes do lançamento, o perfil do Sítio das Matas também vai fazer uma live com os realizadores do projeto, compostos pelos comunicadores e comunicadoras Ronaldo Eli e Natália Yamas, e pela artista visual Magú Brandão.

Leia também: Museu dedicado às Comunidades Tradicionais de Terreiros é reinaugurado no Rio

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui nosso Catarse

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

boletim40.jpg
boogienaipe.jpg
ileaiyeemsalvador.jpg
juventudeeracismo.jpg