COTIDIANO / Terça, 28 Dezembro 2021 17:26

Enchentes no Goiás deixam comunidades quilombolas ilhadas

Prefeitura decretou estado de calamidade pública; cerca de mil famílias perderam casas e lavouras

Texto: Redação | Imagem: Paulo de Araújo/Ministério do Meio Ambiente

Comunidades Kalunga, no município da Cavalcante (GO)
Introdução:

Prefeitura decretou estado de calamidade pública; cerca de mil famílias perderam casas e lavouras

Autor:

Texto: Redação | Imagem: Paulo de Araújo/Ministério do Meio Ambiente

As fortes chuvas que atingiram Cavalcante, no Nordeste de Goiás, onde vivem os povos Kalungas, afetaram comunidades quilombolas  nesta segunda-feira (27). Cerca de mil famílias estão ilhadas e pontes e estradas de acesso ao município foram interditadas. A prefeitura decretou estado de calamidade pública pelo prazo de 90 dias. 

Segundo o portal de notícias Metrópoles, pelo menos três comunidades quilombolas do município na Chapada dos Veadeiros estão isoladas. No Vão das Almas e no Vão do Moleque, cerca de 400 famílias não têm como sair e esperam ajuda. Para piorar a situação, a comunidade está há quatro dias sem energia.

A rodovia GO-118 está parcialmente destruída depois que uma parte do asfalto cedeu. Além disso, estradas estão com atoleiros, impossibilitando resgates por terra. O prefeito Vilmar Sousa Costa, que é quilombola, informou ao portal que canoas com alimentos vão ser enviadas pelo governo estadual e uma equipe do Corpo de Bombeiros chegou nesta terça-feira (28). Helicópteros devem ser usados no apoio e nos resgates.

As comunidades ficam na zona rural e não possuem água encanada. Por isso, muitas famílias constroem suas moradias próximo aos rios que cortam a região. Quando esses rios transbordaram, essas casas podem ser destruídas.

Um acidente semelhante aconteceu em 2016, na mesma região. A cheia do Rio Prata subiu 10 metros e atingiu a população do Vão do Moleque. Mais de 110 pessoas ficaram desabrigadas após 24 casas serem destruídas. Assim como aconteceu essa semana, a cheia de cinco anos atrás gerou estragos em vários pontos do município. Várias pontes caíram. 

Para apoiar Cavalcante e as pessoas que passam necessidades devido às chuvas, a Secretaria Municipal de Assistência Social de Cavalcante divulgou três telefones de urgência às famílias que precisam de alimentação, abrigo, vestuário, assistência médica e transporte. Os números são (62) 3494-1074, (62) 9 9984-5944 e (62) 9 9649-1679.

Leia também: Com fortes chuvas, Bahia tem dez barragens em nível crítico de água

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui e apoie a Alma Preta Jornalismo

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

rashidfala.jpg
insdefesa.jpg
devassashow.jpg
manifestantesmarchamnacn.jpg