COTIDIANO / Quarta, 21 Julho 2021 14:51

Edital inaugura política de cotas em concursos públicos do Ceará

Sancionado em março deste ano, projeto viabiliza reserva de 20% das vagas para pessoas negras e 5% para pessoas com deficiência; as inscrições para o setor estão abertas 

Texto: Redação: I Edição: Lenne Ferreira I Imagem: Divulgação/Thiara Montefusco

Edital para área de saúde estreia política de cotas em concursos públicos no Ceará
Introdução:

Sancionado em março deste ano, projeto viabiliza reserva de 20% das vagas para pessoas negras e 5% para pessoas com deficiência; as inscrições para o setor estão abertas 

Texto: Redação: I Edição: Lenne Ferreira I Imagem: Divulgação/Thiara Montefusco

Sancionada no último mês de março, a lei de cotas para concursos públicos no Ceará passa a valer neste mês. Visando equidade no processo seletivo, a estreia é feita pela Fundação Regional de Saúde, órgão responsável pelo gerenciamento de serviços assistenciais no estado. O feito garante 20% das vagas para a população negra e 5% para pessoas com deficiência. O Governo associa a conquista à demanda histórica dos movimentos de promoção da igualdade racial da região. 

A aplicação da lei estadual, de nº 17.432, será aplicada nas seis mil vagas na área da saúde que estão abertas em novo edital. Do quadro geral,  5.581 vagas são para a área assistencial e 419 para a área administrativa, de níveis médio e superior. A Fundação Getúlio Vargas (FGV) é a administradora do concurso e cobra taxa de inscrição para médicos de R$ 300; para demais cargos de nível superior, R$ 150, e para nível médio, R$ 70.

 

“A partir do momento em que a gente está pensando um modelo de gestão em que se trabalhe a horizontalidade dos processos e a redução dessas hierarquias,  a política de cotas agrega um valor enorme”, acredita Josenília Gomes, diretora-presidente da Fundação. “Quando agrega cotas, você agrega diversidade, e quando agrega diversidade, você agrega possibilidade de criatividade. Assim, temos várias visões sobre o mesmo processo, sobre a mesma forma de fazer”, afirma..

Leia também: Ativistas de Maceió reivindicam cotas raciais nos concursos do município alagoano

De acordo com a gestão estadual, a cota é aplicada em todos os cargos que oferecem cinco ou mais vagas. Caso o número de candidatos negros aprovados seja inferior ao de vagas reservadas, as restantes serão ocupadas pelos participantes do certame inseridos na ampla concorrência, de acordo com sua classificação.

Ao se inscrever, o candidato tem de se autodeclarar preto ou pardo, de acordo com os requisitos para cor e raça do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O candidato que assim se autodeclarar, para validação da participação no concurso pelo sistema de cotas, será submetido também à comissão de análise.

Com inscrições abertas no site da Fundação Getúlio Vargas (FGV), administradora do concurso, o edital prevê seis mil vagas na área da saúde do Ceará. São 5.581 vagas para a área assistencial e 419 para a área administrativa, de níveis médio e superior. O valor da taxa de inscrição para médicos é R$ 300; para demais cargos de nível superior, R$ 150, e para nível médio, R$ 70.

Para a assessora Especial de Acolhimento aos Movimentos Sociais do Governo do Ceará, Zelma Madeira, a aplicação de cotas torna o serviço público menos monocromático e é um instrumento de combate ao racismo estrutural. “A gente ganha com o diálogo com a sociedade, porque o movimento social é atendido na sua solicitação. A gente ganha quando diversifica e traz uma contribuição e o conhecimento que essas pessoas têm e, nesse caso, específicos da saúde”, afirma Zelma.

Aos interessados, mais detalhes sobre o edital estão disponíveis através do link.

Leia também: Por nossos sonhos e histórias: a Lei de Cotas e sua revisão em 2022

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui nosso Catarse

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS