COTIDIANO / Quinta, 09 Dezembro 2021 14:38

Dados oficiais de mortes por Covid-19 nos presídios são falhos, diz monitoramento

Plataforma Infovírus e a Rede Justiça Criminal questionam estados como Alagoas, Amapá, Pará, Piauí, Rio Grande do Norte e Tocantins, que não notificaram nenhum óbito em presídios em 381 dias de monitoramento

Texto: Redação I Imagem: Agência Brasil 

Levantamento expõe falhas em dados oficiais sobre mortes por Covid-19 nas prisões
Introdução:

Plataforma Infovírus e a Rede Justiça Criminal questionam estados como Alagoas, Amapá, Pará, Piauí, Rio Grande do Norte e Tocantins, que não notificaram nenhum óbito em presídios em 381 dias de monitoramento

Autor:

Texto: Redação I Imagem: Agência Brasil 

Um monitoramento realizado pelo Infovírus - plataforma de sistematização de informações sobre o alastramento da Covid-19 nas prisões brasileiras - e a Rede Justiça Criminal expõe falhas em dados oficiais sobre mortes por Covid-19 nas prisões. Intitulado ‘De Olho no Depen (Departamento Penitenciário Nacional): Análise de Informações de Estado sobre Covid-19 nas prisões', o levantamento revelou falta de qualidade dos dados e inconsistência de informações. 

Desde o início da pandemia, oDEPEN quantifica o avanço da Covid-19 no sistema carcerário brasileiro. O painel reúne informações de óbitos, casos suspeitos, detectados e recuperados de cada uma das unidades federativas. Diante de denúncias de familiares de pessoas presas sobre inconsistências dos dados apresentados, o projeto passou a acompanhar, registrar, analisar e divulgar informações referentes à situação dos presídios durante a pandemia. 

A partir desse monitoramento, foram realizadas análises da incidência da Covid-19 em cada estado e do fluxo de informações fornecidas pelo órgão. Dentro da análise, chama atenção os 242 dias sem atualização das informações no estado da Bahia no painel. Além disso, Alagoas, Amapá, Pará, Piauí, Rio Grande do Norte e Tocantins não notificaram nenhum óbito no período de 381 dias de monitoramento. 

Em alguns estados, foi observada uma mudança repentina no painel dentro de 24 horas. No Paraná, por exemplo, há uma alta de 62,5% de óbitos de um dia para o outro, retornando ao dado inicial um dia depois. No Pará, esse número chegou a ser 100% maior. 

Leia também: “Está cada dia pior”, diz preso sobre situação da Covid-19 em penitenciária de SP

No Ceará, por 17 dias no mês de abril neste ano, os dados do painel foram totalmente zerados. Depois desse período as informações retornaram aos valores que apareciam antes. Já no Rio de Janeiro, o painel mostrou óbitos antes mesmo de registrar casos suspeitos. 

Os apontamentos sobre falhas no compartilhamento sobre a situação das pessoas em cárcere pode ser conferido no site Deixados para Morrer. A plataforma Infovírus deve continuar a checagem de informações e, simultaneamente, de divulgação científica do acúmulo das pesquisas do campo criminológico crítico sobre penas e prisões no Brasil.

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui e apoie a Alma Preta Jornalismo

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

melly.jpg
cafe.jpg
entrevistalazaroramos.jpg
lucaskinte.jpg