COTIDIANO / Sexta, 31 Agosto 2018 13:25

Conheça 5 escritores negros que não fazem parte da Academia Brasileira de Letras

De Carolina Maria de Jesus à Cruz e Souza, a população negra possui grandes nomes literários que poderiam ter ocupado as cadeiras da instituição

Texto / Anna Laura Moura
Foto / Pexels

A Academia Brasileira de Letras (ABL) tem sido muito falada nos últimos dias. Sua decisão de fornecer ao cineasta Cacá Diegues a oportunidade de ocupar a 7ª cadeira da instituição, ao invés da escritora negra Conceição Evaristo, causou polêmica e virou alvo de críticas. A situação abriu margens para discussões como o racismo institucional, e também o machismo. Conceição obteve somente um voto, enquanto Diegues obteve 22 entre os 35 disponíveis.

As cadeiras da Academia são ocupadas por somente 5 mulheres brancas e 35 homens brancos, tendo a total ausência de mulheres negras. A imersão de Conceição Evaristo seria um marco para a história, principalmente para a trajetória do povo negro. Todavia, infelizmente, Conceição não é a única escritora e negra no Brasil a não ser contemplada com tal reconhecimento.

O Alma Preta fez um balanço de 5 escritores negros, que junto de Conceição Evaristo, são grandes nomes que poderiam ocupar as cadeiras da ABL. Confira:

Lima Barreto
Foi um jornalista e escritor negro carioca que publicou romances, contos, crônicas e mais um arsenal de obras, principalmente em revistas populares no início do séc. XX. Obras como Triste Fim de Policarpo Quaresma (1911) e Recordações do escrivão Isaías Caminha (1909) marcaram sua carreira.

Carolina Maria de Jesus
A escritora mineira é considerada uma das primeiras e mais importantes escritoras negras brasileiras. Viveu boa parte de sua vida na Favela do Canindé, na Zona Norte de São Paulo, e marcou gerações com sua obra Quarto do Despejo (1960).

Cruz e Souza
O catarinense foi um poeta brasileiro filho de negros escravizados e um dos percursores do Simbolismo - movimento literário influenciado pelo misticismo e a musicalidade nos versos - no Brasil. Broquéis (1893), seu livro de poesias, é uma de suas mais ovacionadas obras.

Miriam Alves
A paulistana é assistente social e professora, e integrante do Quilombhoje Literatura. Momentos de busca (1983) é resultado de exercícios e experimentos praticados e reelaborados desde sua adolescência.

Oswaldo de Camargo
De Bragança Paulista (SP), é escritor, jornalista e publicitário, e já atuou como revisor do O Estado de S. Paulo. Poemas Negros (1961) e O homem tenta ser anjo (1959) são umas de suas principais obras.

 

 

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui e apoie a Alma Preta Jornalismo

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

rashidfala.jpg
insdefesa.jpg
devassashow.jpg
manifestantesmarchamnacn.jpg