COTIDIANO / Quinta, 18 Outubro 2018 13:00

Caminhada turística apresenta pontos importantes da comunidade negra no centro de São Paulo

Coletivo Cartografia Negra articula encontro aberto em pontos importantes na vivência da população negra na capital no dia 20 de Outubro, sábado

Texto / Divulgação
Imagem / Julia Lucia de Oliveira

 

A especulação imobiliária cerca São Paulo há muito mais tempo do que imaginamos. Nos últimos meses, a Igreja do Rosário dos Homens Pretos, no Largo do Paissandú, virou acampamento para cerca de 100 famílias, que ficaram desabrigadas por conta do incêndio de um prédio do quarteirão. Há pouco mais de cem anos, a região foi palco de uma história semelhante.

A Igreja da Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos foi erguida nesse local em aproximadamente 1903. Antes disso, ela ficava na atual Praça Antônio Prado. Porém, por conta da especulação imobiliária, foi demolida. Hoje, no mesmo lugar onde ela ficava, está a Bolsa de Valores de São Paulo.

Ali perto, na Praça Ramos de Azevedo, no mesmo período, famílias negras e pobres eram desabrigadas por conta da construção do Teatro Municipal.

Para conhecer a história desses e alguns outros lugares relevantes na vivência da população negra da cidade, principalmente até o século XIX, o coletivo Cartografia Negra realiza caminhadas pelo centro da cidade.

Na atividade, vêm à tona histórias de resistência e de opressão - todas ausentes da narrativa oficial da metrópole.

Para participar é só chegar! Sugerimos contribuição voluntária de 35 reais.

As próximas caminhadas serão realizadas nos dias 20 de outubro e 24 de novembro. O ponto de encontro é o Largo da Memória, em frente ao Obelisco de Piques, às 15h. Na próxima Volta, em outubro, contaremos com a participação da escritora e artista Tayla Fernandes, participante do Sarau Pretas Peri.

Para mais informações, clique aqui.

Acompanhe o coletivo Cartografia Negra.

Serviço:

Data: 20 de outubro e 24 de novembro
Horário: 15h
Ponto de encontro: Em frente ao Obelisco de Piques, ao lado da Estação Anhangabaú de Metrô (saída R. Formosa)
Valor: Contribuição voluntária
Evento no Facebook: aqui

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui nosso Catarse

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS