COTIDIANO / Terça, 22 Março 2022 10:47

Aplicativo mapeia oportunidades de emprego para profissionais das periferias

Desenvolvido para conectar oferta e procura de trabalho em áreas de vulnerabilidade econômica, app Trampolim é totalmente gratuito

Texto: Redação | Imagem: Prefeitura de Atibaia

Uma pessoa negra segura uma carteira profissional de trabalho.
Introdução:

Desenvolvido para conectar oferta e procura de trabalho em áreas de vulnerabilidade econômica, app Trampolim é totalmente gratuito

Autor:

Texto: Redação | Imagem: Prefeitura de Atibaia

Cerca de 43% dos moradores de periferias perderam o emprego durante a pandemia, apontou uma pesquisa encomendada pelo G10 Favelas. Outro levantamento, realizado pela Central Única de Favelas (Cufa) em conjunto com o Instituto Data Favela e Locomotiva, revelou que, nesse período, 71% das famílias sobreviviam com menos da metade da renda que tinham antes da crise. Para resolver parte da equação desse cenário de alto índice de desocupação, surge o Trampolim, aplicativo colaborativo de empregos.

Desenvolvido para conectar oferta e procura de trabalho em áreas de vulnerabilidade econômica, ele é totalmente gratuito. Hoje, das mais de 2,5 mil vagas divulgadas na plataforma, 32% estão localizadas na cidade de São Paulo. Os bairros com mais vagas por região são: Zona Sul (Santo Amaro e Ipiranga), Centro (Bom Retiro e Vila Buarque), Zona Leste (Brás e São Mateus), Zona Norte (Santana e Freguesia do Ó) e Zona Oeste (Lapa e Perdizes).

Segundo o diretor de produto da startup, Bruno Rizzato, o aplicativo pode ampliar as oportunidades de recolocação para profissionais que moram em locais afastados dos grandes polos comerciais da cidade.

“Atualmente, 80% dos usuários cadastrados no aplicativo moram em regiões periféricas de São Paulo. Às vezes a pessoa se desloca para procurar emprego em um lugar longe, geralmente o centro da cidade, mesmo que existam oportunidades dentro da sua própria comunidade. Graças ao recurso de geolocalização do Trampolim, o candidato consegue encontrar vagas perto de casa e economizar tempo e dinheiro com transporte e impressão de currículos”, explica.

Leia também: Em São Paulo, um em cada quatro negros perdeu o emprego na pandemia

Além de melhorar a qualidade de vida da população local, a solução chega para apoiar a economia interna das comunidades. Geralmente, lojas de bairro anunciam suas vagas na porta do estabelecimento, dependendo exclusivamente do acaso - que o candidato com o perfil desejado passe em frente ao local para descobri-la.

“O Trampolim atua justamente na digitalização dessas vagas de rua, ajudando comerciantes locais no processo seletivo e aumentando a eficácia da contratação. A geolocalização permite ao estabelecimento contratar profissionais que, por morarem perto, terão mais facilidade e menor custo de deslocamento, o que ajuda a reduzir a taxa de rotatividade e a melhorar a produtividade do trabalhador”, detalha Rizzato.

O mapeamento e divulgação de vagas é feito pelos próprios usuários, que podem fotografar vagas que encontrem anunciadas pela região e compartilhar no aplicativo, na intenção de ajudar tanto quem oferece como quem procura trabalho – daí o caráter colaborativo.

“Quanto mais pessoas estiverem compartilhando vagas, mais vagas serão preenchidas, e com mais eficiência. Para se ter uma ideia, já temos mais de 20 mil usuários participando dessa corrente do bem”, complementa o executivo.

Recentemente a startup foi premiada com o selo internacional iImpact 2021, em três dos 17 objetivos de desenvolvimento sustentável (ODS) estabelecidos pela ONU: erradicação da pobreza, redução das desigualdades e comunidades sustentáveis.

“Durante a pandemia, muitos foram demitidos ou impedidos de trabalhar em serviços informais, que eram suas únicas fontes de renda, por isso iniciativas como essa são essenciais. A Trampolim espera promover um impacto positivo nas comunidades, democratizando o acesso às oportunidades de trabalho”.

Para acessar e compartilhar vagas, basta fazer o download do app disponível para versões android.

Leia também: Projeto de Lei prevê aposentadoria para donas de casa com mais de 60 anos

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui e apoie a Alma Preta Jornalismo

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

feminismonegro.jpg
leituradosbuzios.jpg
culturasafricanasema.jpg
racismorecreativo.jpg