AGENDA / Terça, 20 Abril 2021 16:30

Projeto oferece oficinas de capacitação para mulheres negras e periféricas

O projeto “ELA em Movimento” nasceu a partir da percepção das idealizadoras quanto ao número baixo de mulheres negras, periféricas, trans e pessoas não-binárias em produções culturais; saiba como se inscrever

Texto: Caroline Nunes | Edição: Nataly Simões | Imagem: Pexels

Projeto oferece oficinas de capacitação para mulheres negras e periféricas
Introdução:

O projeto “ELA em Movimento” nasceu a partir da percepção das idealizadoras quanto ao número baixo de mulheres negras, periféricas, trans e pessoas não-binárias em produções culturais; saiba como se inscrever

Texto: Caroline Nunes | Edição: Nataly Simões | Imagem: Pexels

Voltado para a capacitação profissional em toda a cadeia de produção cultural, o projeto “ELA em Movimento” (ELA enquanto sigla para empoderamento, liberdade e arte) promove uma série de oficinas online e gratuitas voltadas para mulheres periféricas, negras, cis e trans, homens trans e pessoas não-binárias.

Com o objetivo de oferecer ferramentas para inserção dessas pessoas no mercado de trabalho de maneira acolhedora e sem preconceitos relacionados à raça, sexualidade ou identidade de gênero, as aulas acontecem uma vez por semana, de 17 de maio a 10 de julho. As inscrições estão abertas até o dia 2 de maio.

Para uma das idealizadoras das oficinas, Marcela Ramos, contribuir para a construção profissional de mulheres negras e periféricas significa uma mudança estrutural em um cenário ocupado majoritariamente por homens, brancos e cisgêneros.

“A criação desse projeto, feito em conjunto apenas por mulheres, reflete essa mudança estrutural, vejo o ‘ELA’ como uma ação que muda estruturas se baseando principalmente na troca de conhecimento e criação de novas redes”, declara.

Leia também: 'Performance artística retrata racismo e machismo contra mulheres negras'

Oficinas

São oferecidas aulas de produção financeira, escrita e desenvolvimento de projetos, gerenciamento de redes sociais, introdução à produção audiovisual, iniciação em produção de eventos e iniciação à produção teatral. São 30 vagas por oficina, com carga horária de 16 horas ao total. O evento disponibiliza certificado para todas as oficinas.

Segundo Fernanda Venturini, também idealizadora do projeto, é inspirador poder fornecer essas ferramentas para um público tão desfavorecido socialmente.

"A ideia é que mais mulheres consigam aprender com as oficinas e atuar na produção cultural, gerando impactos nos seus territórios. É urgente a realização de projetos que caminham de encontro a essa direção e que buscam a capacitação e inserção dessas mulheres", explica.

Serviço:

Oficinas de Produção Cultural

Data: de 17 de maio à 10 de julho

Inscrições: de 05 de abril à 02 de maio no site oficial.

Local: Online via Google Meet

Valor: Gratuito

Censura: Para mulheres cis e trans, homens trans e pessoas não-binárias

Capacidade: 30 pessoas por turma

Carga Horária: 12h a 16h ao total

Lista de oficinas:

Oficina "Introdução à produção audiovisual" - com Julia Anhesim Pellizzer

Data: 17, 24, 31 de maio e 07 de junho

Horário: 19h

Vagas: 30 Carga

Horária: 16h

Oficina "Iniciação à produção teatral" - com Amanda Nascimento

Data: 19 e 26 de maio, 02 e 09 de junho

Horário: 19h

Vagas: 30

Carga horária: 16h

Oficina "Produção Financeira" - com Fernanda Sampaio

Datas: 22 e 29 de maio, 05 e 12 de junho

Horário: 14h

Vagas: 30 Carga

Horária: 16h

Oficina "Escrita e desenvolvimento de projetos" - com Marina Pereira

Data: 9 e 26 de junho e 03 e 10 de julho

Horário: 14h

Vagas: 30

Carga horária: 16h

Oficina "Gerenciamento de redes sociais" - com Samara Bispo

Data: 14, 21 e 28 de junho e 05 de julho

Horário: 19h30

Vagas: 30

Carga Horária: 12h

Oficina "Iniciação em produção de eventos" com Marcela Ramos (Mafalda)

Data: 16, 23 e 30 de junho e 07 de julho

Horário: 19h

Vagas: 30

Carga horária: 16h.

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui nosso Catarse

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

boletim40.jpg
boogienaipe.jpg
ileaiyeemsalvador.jpg
juventudeeracismo.jpg