AGENDA / Segunda, 06 Dezembro 2021 12:24

'Awurê na Bahia': documentário sobre origem do samba de roda estreia nesta segunda

O Cultne, maior acervo digital de cultura afro do país, assina a produção audiovisual que é lançada em Botafogo, no Rio de Janeiro

 

Texto: Redação | Imagem: Divulgação Cultne

Imagem de um dos entrevistados do documentário.
Introdução:

O Cultne, maior acervo digital de cultura afro do país, assina a produção audiovisual que é lançada em Botafogo, no Rio de Janeiro

 

Autor:

Texto: Redação | Imagem: Divulgação Cultne

Apresentar e difundir as origens do samba de roda brasileiro é o fio condutor do documentário ‘Awurê na Bahia’, que estreia nesta segunda-feira (6) no cinema Estação Net Rio, em Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro.

'Awurê' é um termo iorubá que significa um 'desejo de boa sorte'. A produção audiovisual é o primeiro registro cinematográfico do Projeto Awurê, que, uma vez por mês em Madureira, na zona norte do Rio de Janeiro, propõe rodas de música, cânticos, poesia, gastronomia e dança com referências da cultura negra, que buscam exaltar e resgatar a influência africana na identidade e consciência ancestral.

"O documentário traz memórias, legados e reconhecimentos importantes de uma cultura geradora de outras manifestações artísticas brasileiras, que é o valor cultural do samba de roda para o Brasil. Assim, fomos beber na fonte reverenciando Seu João do Boi, Dona Nicinha do samba, Cachoeira, Santo Amaro, São Felix, Quilombo Quixabeira, Kaonge, o samba de caboclo, o samba junino, a história do Ilê Aiyê. Foi emocionante e necessário", comenta Anderson Quack, um dos diretores da produção.

‘Awurê na Bahia’ marca a estreia do primeiro audiovisual apresentando a Rota dos Tambores. A proposta é iniciar uma sequência que vai mostrar os caminhos do tambor em outros estados do Brasil e em países da América Latina, como Uruguai e Cuba.

"O objetivo era só lançar o documentário nas redes sociais, mas a ideia cresceu e tomou novos rumos. Assim, virou o primeiro projeto 'Originais' do Cultne, assim como já fazem Netflix, Amazon e Globoplay. A nossa ideia é contar a história a partir do nosso olhar preto, trazendo à luz uma produção especial, em um trabalho com muita ousadia, qualidade e determinação", ressalta Filó Filho, coordenador executivo do Cultne, que é o maior acervo digital de cultura negra do Brasil e também responsável pela produção do documentário.

A estreia do filme no cinema Estação Net Rio também vai contar com uma intervenção artística para protestar contra o fechamento do espaço, que foi proposto pelo proprietário, que é o Grupo Severiano Ribeiro (GSR). Com alegações de falta de pagamentos de aluguéis atrasados, o GSR quer demolir o local para construir um prédio residencial, o que tem sido alvo de críticas pela classe artística.

"O lançamento desse importante documentário no Estação Net Rio, além de celebrar a arte e a música negra, também vem demonstrar apoio para que o local continue aberto, divulgando o cinema e a arte para todos. É importante nesse momento a união de todos nós artistas contra qualquer forma de silenciamento da cultura no país", diz o cineasta Cavi Borges.

Confira o trailer do documentário

Serviço

‘Awurê na Bahia’ tem direção de Pedro Oliveira, Fabiola Machado e Anderson Quack Arifan Jr. O lançamento do documentário ocorre nesta segunda-feira (6), às 19h, no Cinema Estação Net Rio, que fica na Rua Voluntários da Pátria, 35 - Botafogo, no Rio de Janeiro. A entrada é gratuita, com atenção à lotação do espaço e às normas de saúde contra a Covid-19.

Leia também: Nego Bala transforma o sonho da liberdade em disco e curta-metragem com Elza Soares

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui e apoie a Alma Preta Jornalismo

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

melly.jpg
cafe.jpg
entrevistalazaroramos.jpg
lucaskinte.jpg