AGENDA / Segunda, 26 Julho 2021 15:27

Coletivo Afrobapho abre inscrições para seis imersões artísticas gratuitas

Atividades são distribuídas nos eixos da música, dança e performance; imersões começam nos dias 14 e 15 de agosto

Texto: Redação | Foto: Edgard Azevedo

Imagem mostra pessoas negras com roupas coloridas sentadas em uma 'fila'
Introdução:

Atividades são distribuídas nos eixos da música, dança e performance; imersões começam nos dias 14 e 15 de agosto

Texto: Redação | Foto: Edgard Azevedo

O coletivo Afrobapho abriu inscrições gratuitas para seis imersões artísticas do projeto AFROBAPHOLab, que vai contar com atividades de música, dança e performance. O Afrobapho é formado por jovens negros LGBTQIA+ das periferias de Salvador, na Bahia, que usam o "artvismo" como ferramenta para discutir pautas de mobilização e sensibilização social. 

As imersões acontecem nos dias 14 e 15 de agosto e são divididas em três eixos. Na dança, são ofertadas aulas de "Stiletto", com Elivan Nascimento, e "Vogue Dance", com Lu Montty. Na música, o duo perfo-político-musical do grupo 'As Mambas', Sued Hosaná e Felipe Salutari, comandam a imersão de estratégias criativas de composição e melodia.

Já no pilar da performance, Malayka SN e Kaiakan ensinam técnicas de maquiagem artística e expressão corporal na construção de personas também através da indumentária e modificação corporal. Ao todo, serão 50 vagas para cada aula.

O Afrobapho surgiu em novembro de 2015, como uma plataforma de ação coletiva que produz narrativas criativas para falar sobre questões sociais e direitos humanos. Através da dança, música, produções audiovisuais e performances artísticas, aborda numa perspectiva antirracista, questões de estética, dissidências de sexualidade e gênero, que confrontam o padrão heteronormativo da sociedade.

Leia também: Entre ataques às mães LGBT’s, Miranda Caê lança canção de orgulho

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui e apoie a Alma Preta Jornalismo

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS

melly.jpg
cafe.jpg
entrevistalazaroramos.jpg
lucaskinte.jpg