ÁFRICA & DIáSPORA / Sexta, 23 Julho 2021 11:30

Oito países africanos têm chance de repetir medalhas em Tóquio

Ao todo, serão mais de 50 delegações africanas entre as 206 que estão no Japão; Quênia é o país com mais medalhas nos Jogos Olímpicos até o momento

Texto: Juca Guimarães I Edição: Nadine Nascimento I Imagem: Breno Barros / Rede Esporte

cerimônia de abertura dos jogos de Tóquio que terá disputa de medalhas para 50 países africanos
Introdução:

Ao todo, serão mais de 50 delegações africanas entre as 206 que estão no Japão; Quênia é o país com mais medalhas nos Jogos Olímpicos até o momento

Texto: Juca Guimarães I Edição: Nadine Nascimento I Imagem: Breno Barros / Rede Esporte

Nos jogos olímpicos de Tóquio, no Japão, que teve uma cerimônia oficial de abertura nesta sexta-feira (23), o continente africano será representado por atletas de mais de 54 países na disputa por medalhas. A Guiné que tinha anunciado, no dia 21, que não iria mandar representantes, está revendo a decisão e pode mandar uma delegação. Caso isso aconteça, serão 55 nações africanas.

Ao todo, os jogos olímpicos terão participantes de 206 países, incluindo uma delegação especial de atletas refugiados e uma de atletas russos que participam de forma independente, após o país ter tido problemas por conta da testagem de doping.

Em relação aos últimos jogos olímpicos, que aconteceram no Rio de Janeiro, em 2016, são oito os países africanos que podem repetir uma atuação com medalhas: Quênia, África do Sul, Etiópia, Costa do Marfim, Argélia, Burundi, Egito e Nigéria.

Quênia é o país africano com mais medalhas nas histórias dos jogos. Foram 99 medalhas, sendo 31 de ouro, 38 de prata e 30 de bronze.

No Rio de Janeiro, os atletas quenianos conseguiram 13 medalhas (seis de ouro, seis de prata e uma de bronze). No quadro geral de medalhas, o Quênia ficou em 15º lugar em 2016.

No Japão, a delegação queniana deve ter destaque na maratona, uma das competições mais tradicionais dos jogos, que acontecerá no dia 9 de agosto na cidade de Sapporo. Os favoritos são: Eliud Kipchoge (vencedor no Rio em 2016), Peres Jepchirchir (vencedor da maratona de Valência, na Espanha, em 2020) e Lawrence Cherono (vencedor das maratonas de Boston e Chicago, nos EUA, em 2019). No Olimpíadas do Rio, Eliud Kipchoge fez os 42 km da maratona em 2 horas, oito minutos e 44 segundos.

A África do Sul, que conseguiu duas medalhas de ouro, seis de prata e uma de bronze, ficou em 30º lugar. A Etiópia foi o terceiro país africano melhor posicionado no quadro geral das medalhas nas últimas Olimpíadas, no 44º lugar com uma de ouro, duas de prata e cinco de bronze.

Nos jogos de 2016, a Costa do Marfim também conseguiu uma medalha de ouro e outra de bronze, ficando na 51ª posição no ranking geral.

A Guiné tem cinco atletas classificados para os jogos olímpicos, sendo dois deles para a natação. Por conta da preocupação com o agravamento da pandemia de Covid-19, seu ministro dos esportes, Sanoussy Bantama Sow, chegou a anunciar que o país poderia desistir dos jogos - de acordo com a agência de notícias francesa AFP (Agence France-Presse). 

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui nosso Catarse

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS