ÁFRICA & DIáSPORA / Sexta, 16 Julho 2021 14:03

África do Sul: prisão de ex-presidente gera maior onda de protestos desde o apartheid

Aumento de roubos, saques e assassinatos são registrados no país; Jacob Zuma é acusado de corrupção e desacato

Texto: Redação | Imagem: Reprodução/Reuters

Introdução:

Aumento de roubos, saques e assassinatos são registrados no país; Jacob Zuma é acusado de corrupção e desacato

Texto: Redação | Imagem: Reprodução/Reuters

Desde a prisão do ex-presidente Jacob Zuma, há nove dias, a África do Sul vive uma onda de violência que já causou mais de 70 mortes. A maior revolta popular, desde o apartheid, é marcada por saques e invasões de propriedades e comércios.

Algumas regiões do país chegaram a interromper a campanha de vacinação para evitar possíveis ataques, como é o caso de KwaZulu-Natal, província de origem de Zuma, e Gauteng, província em que se localiza a cidade de Johanesburgo.

Leia também: 'Com falta de vacinas, África enfrenta pior momento da pandemia'

Em Durban, a polícia militar atirou contra a multidão com balas de borracha para encerrar os protestos. Cerca de 2.500 agentes, entre policiais e militares, estão divididos para conter a ação dos manifestantes a favor de Zuma. A polícia acredita que os conflitos acontecem de forma espontânea, mas não descarta uma articulação política a favor do ex-presidente sul-africano. Em resposta, a fundação de Jacob Zuma disse que ‘não haverá paz até a libertação dele’.

O ex-presidente da África do Sul foi condenado a 15 meses de detenção por desacato no último dia 7 de julho. Zuma também é acusado de corrupção, compra de armamento em 1999 e de favorecer empresários durante seu mandato presidencial, entre 2009 a 2018.

De acordo com informações oficiais, Jacob Zuma ignorou convocações para testemunhar em um inquérito que investiga corrupção no governo. A Justiça da África do Sul citou “tentativas de enganar o público e de destruir o Estado de Direito”. Já o ex-presidente se declara vítima de uma conspiração.

O ex-presidente da África do Sul Jacob Zuma | Créditos: Reprodução/ReutersO ex-presidente da África do Sul Jacob Zuma | Créditos: Reprodução/Reuters

Antes de ser eleito, Jacob Zuma foi denunciado em 783 casos de corrupção. Apenas dois processos foram a julgamento. Em nota, o atual presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, declarou que esse período é um dos mais violentos desde o fim do apartheid - antigo regime de segregação racial da África do Sul. O órgão de inteligência nacional sul-africano (NatJOINTS) advertiu que quem incitar a violência pode enfrentar acusações criminais.

Para repercutir as informações e atualizar os dados sobre a situação da África do Sul, a Alma Preta Jornalismo entrou em contato com o consulado brasileiro do país. Até a publicação deste texto nenhuma resposta foi enviada. Caso a embaixada se posicione, a matéria será atualizada.

 Apoie jornalismo preto e livre!

 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 

 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 

 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.

 Acesse aqui nosso Catarse

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.

VÍDEOS