fbpx

Evento online acontece nos dias 8, 9 e 10 de dezembro e propõe um debate crítico com participação de cerca de 20 pesquisadores de várias regiões do país

Texto: Flávia Ribeiro | Edição: Nataly Simões | Imagem: Aíssa Mattos/Paráfrica

Estão abertas as inscrições para o Webinário “Amazônia Negra: imagens, narrativas e saberes em diálogo”, que será realizado online nos dias 8, 9 e 10 de dezembro. O evento é gratuito e discute a Amazônia e seus atravessamentos com as categorias sociais de diferenciação como gênero, raça, nacional/regional em trânsito na Améfrica Ladina (como ensina Lélia González) e nas Guianas para outras cartografias, do Brasil e do mundo.

O objetivo é reafirmar as conexões necessárias da academia com as perspectivas e saberes militantes produzidos dentro e fora da universidade. No eixo do debate estão os movimentos negros em sua intelectualidade e contribuição crítica no reconhecimento da heterogeneidade amazônica, enraizada em trânsitos ancestrais de mulheres e homens negros, cis e trans, que fazem da memória um contínuo exercício de construção do presente.

O evento propõe um debate crítico de uma Amazônia reduzida à imagem idílica de exuberância, hibridez e exotismo produzida pelo colonialismo, como estratégia de homogeneização das identidades que, desterritorializadas, passam por uma tentativa constante de apagamento histórico, político e cultural. Cerca de 20 pesquisadores foram convidados do Pará, Rio Grande do Norte, Amapá, Maranhão, Paraná, São Paulo, Bahia e de outros países como Moçambique.

Lançamento de e-book

No webinário também haverá o lançamento do e-book “Meu mundo! Eu, rio e mar”, de autoria de Mônica Conrado, coordenadora do grupo de estudo e pesquisa NÓSMULHERES (Pela Equidade de Gênero Étnico-racial), da Universidade Federal do Pará, que organiza o evento. A obra traz prefácio de Zélia Amador de Deus e posfácio de Benedito Medrado (docente∕UFPE).

O e-book conta a história de uma moça negra chamada Marina que, da infância à vida adulta, sonhava em conhecer o mar. A obra poderá ser baixada gratuitamente após o lançamento.

O NÓSMULHERES foi criado, em 2008, com o objetivo de trazer a abordagem interseccional a partir das epistemologias negra e decolonial em estudos e pesquisas na Universidade Federal do Pará em nome da heterogeneidade de mulheres, homens negros amazônidas e de outras regiões do país, em parceria com os movimentos negros e de articulações de mulheres negras.

Serviço: 

I Webinário “Amazônia Negra: imagens, narrativas e saberes em diálogo”
Data: 8, 9 e 10 de dezembro de 2020
Programação completa e inscrições gratuitas no site.
Transmissão online via YouTube.
Haverá emissão de certificados. 

 O povo preto quer narrar suas histórias

Vivemos em um mundo de disputa. Nossa sociedade tem profundas marcas das desigualdades que foram desenhadas ao longo da história. Na atualidade parece que há espaço para debate, a tão falada representatividade está sobre a mesa.
Mas o povo preto quer mais. Queremos narrar nossas próprias histórias. Queremos ter direito de fala não somente quando essa é concedida. Somos múltiplos, somos muitos e plurais. A ótica de ser preto no Brasil se revela como um espectro, tamanha a diversidade dos povos ancestrais que nos originaram, e a variedade de experiências que podemos ter e ser. Pertencer. O que nos conecta é pele.

Apoie o Alma Preta e nos ajude a continuar contando todas essas histórias.

Vamos fazer jornalismo na raça!

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com