Estudantes não tiveram a autodeclaração racial confirmada pela comissão de verificação, criada para evitar fraudes durante o processo seletivo da instituição

Texto / Pedro Borges
Imagem / Reprodução

A Universidade Estadual Paulista (UNESP) vai expulsar 27 alunos por fraude durante o processo seletivo da instituição. Os alunos falsificaram a autodeclaração racial para conseguir benefício no vestibular via política de cotas.

A informação partiu do Prof. Sérgio Nobre, vice-reitor da UNESP, que comunicou o Conselho Universitário sobre a decisão. A instituição continuará com a comissão de verificação para assegurar a efetividade do direito de acesso ao ensino superior para estudantes pretos e pardos, as duas identificações que compõem o grupo racial negro.

A UNESP é a primeira entre as estaduais paulistas a adotar o sistema de cotas sociais e raciais. Desde 2013, quando o mecanismo se iniciou, surgiram denúncias de fraudes por parte de estudantes brancos que se autodeclaravam negros para conseguirem vantagens durante o processo seletivo.

Como forma de garantir o direito da população negra de acessar o ensino superior e frear as fraudes, criou-se em 2016 a comissão de verificação da universidade.

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
contato(@)almapreta.com

Mais Lidos