Aula pública reunirá mais de mil estudantes dos núcleos da rede de cursinhos populares; entre os homenageados estão a família de Marielle Franco, o Sarau da Cooperifa, e Silmara Moraes, cozinheira de Suzano que salvou a vida de diversos jovens, entre outros

Texto / Pedro Borges
Imagem / Reprodução

A Uneafro comemora 10 anos de existência em evento especial no dia 30 de Março, sábado, a partir das 9h, no auditório da FFLCH-USP. A atividade também marca a entrega da segunda edição do prêmio Marielle Franco, uma forma de homenagear ativistas de direitos humanos e recordar o legado da ex-vereadora do Rio de Janeiro, assassinada em 14 de Março de 2018.

“É preciso celebrar esses 10 anos de trabalho, em que centenas de professores voluntários se engajaram e mais de 15 mil estudantes foram atendidos. Centenas de jovens negras, negros e pobres chegaram em Universidades, conseguiram melhores empregos, aumentaram suas rendas e mudaram a trajetória histórica de suas famílias. Um número incontável de comunidades e bairros periféricos foram impactados”, afirma Douglas Belchior, um dos fundadores da organização.

A rede de cursinhos populares, criada em 2009, hoje tem cerca de 35 sedes, a maioria delas nas periferias capital paulista e na grande São Paulo. Cerca de mil estudantes são esperados para a atividade de sábado, que será uma aula pública sobre temas como racismo e direitos humanos. No período da tarde, o grupo de jovens fará um tour pela Universidade de São Paulo (USP).

Para Douglas, a Uneafro luta por meio da educação para tirar a comunidade negra da condição de vulnerabilidade e como forma de enfrentar o genocídio.

“A principal missão da Uneafro é tirar o corpo negro e pobre da linha do tiro, do contingente encarcerado pelo estado, da fila do hospital e dos números das estatísticas da violência. Para isso, desenvolve ações que busca oferecer oportunidades de estudo e trabalho, sempre acompanhada por uma permanente formação cidadã, justamente para que esses jovens alcancem a compreensão dos motivos que geram tanta violência, desigualdade e injustiça”, afirma.

Os nomes a serem homenageados são o Sarau da Cooperifa, Associação de Amigos e Familiares de Presas/os (AMPARAR), Cida Bento, uma das fundadoras do CEERT, e Anielle e Luyara Franco, irmã e filha da ex-vereadora Marielle Franco, e Silmara de Moraes, cozinheira que ganhou espaço na mídia depois de defender diversos jovens em ataque a escola em Suzano-SP. Durante a atividade, também haverá apresentação do Pagode na Disciplina, roda de samba do Jardim Miriam, zona sul da cidade.

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com

Mais Lidos

Cron Job Iniciado