Texto: Feira Preta / Imagem: Feira Preta

 Em sua terceira edição, bloco leva cultura negra para as ruas com marchinha homenageando o multi-artista e produtor negro Paqüera, presidente do Samba da Vela

O bloco Rolezinho das Crioulas está pronto para ocupar mais uma vez as ruas da Vila Madalena com muito samba de exaltação à cultura negra. Em sua terceira edição, no dia 31 de janeiro, o bloco vai homenagear José Alfredo Gonçalves, conhecido como Paqüera, multi-artista e produtor que tem sua história marcada por passagens em diferentes atividades artísticas e militantes. A concentração do bloco será a partir das 12h, no Jongo Reverendo, na Rua Inácio Pereira da Rocha, 170, esquina com a Rua Fradique Coutinho. A saída está prevista para 14h.

“A Vila Madalena se tornou um importante pólo cultural paulistano e tem aberto cada vez mais espaço para manifestações carnavalescas. O Rolezinho das Crioulas surgiu para ocupar as ruas com a estética e cultura negra, inspirado nos movimentos de ocupação da juventude negra em espaços privados”, comenta Adriana Barbosa, uma das idealizadoras do bloco e também da Feira Preta, considerado o maior evento de cultura negra da América Latina.

O bloco, que será puxado por diversos músicos e percussionistas, inclusive de grupos consagrados como sambistas do Samba da Vela, Samba da Laje e do grupo Samba D’Elas, vai entoar pelas ruas da Vila o samba “Do Zé Alfredo aos Paqüeras”, vencedor do primeiro concurso de marchinhas realizado pela Comunidade Samba da Vela. Diversos autores atenderam ao chamado da organização do bloco para homenagear José Alfredo Gonçalves, o Paqüera, multi-artista que dedicou a vida ao samba, à exaltação e fortalecimento da cultura negra em diferentes iniciativas, como o Samba da Vela, a Feira Preta, a Primavera Preta, Kultafro, entre outras.

“Cada compositor tem um infinito dentro de si e, neste caso, todos os participantes foram influenciados pelo Paqüera. Recebemos belas homenagens a ele”, comenta Caio Prado, um dos colaboradores do concurso de marchinhas. Luiz Paulo, da Kultafro e que conviveu com o homenageado, comenta que o bloco, idealizado também por Paqüera, foi uma conquista. “Seja pela ocupação das ruas com cultura negra, seja pelo ‘espírito original’ dos blocos de rua, que é brincar o carnaval num clima descontraído, alegre e familiar. Exatamente como desejava Paqüera”, complementa.

Mais uma vez, o Rolezinho das Crioulas tem a parceria do Jongo Reverendo, casa de espetáculos cravada no coração da Vila Madalena e que apresenta uma grande variedade de shows e atrações como o Samba de Roda, o Jongo, entre outras manifestações artísticas. “O bloco tem tudo a ver com o Jongo Reverendo, que abriga e realiza diversas atividades que fortaleçam a ancestralidade negra dialogando com um público negro plural, jovem, feliz e afirmativo”, afirma Adriana Carvalhaes, proprietária do Jongo Reverendo.

Serviço:

Bloco Rolezinho das Crioulas

Quando: 31 de janeiro de 2016
Onde: Rua Inácio Pereira da Rocha, 170, esquina com a rua Fradique Coutinho, Vila Madalena, em frente ao Jongo Reverendo
Horário: Concentração a partir das 12h. Saída às 14h.
Preço: Gratuito

bannerhorizontal

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com

Mais Lidos