fbpx

Plataforma Intié, desenvolvida pelo Coletivo Di Jejê, apresenta nova perspectiva de formação para professores, estudantes e interessados na temática indígena

Texto / Pedro Borges
Imagem

O Coletivo Di Jejê apresenta ao público a plataforma e-learning Intié, com conteúdos e cursos voltados para a formação de estudantes, professores e interessados sobre o conhecimento e a cultura indígenas.

A Intié, palavra do tronco linguístico tupi guarani, significa feminino / mulher, é uma ação de fomento a praticas educativas pos coloniais e busca incidir na lei federal 11.645 garantindo a efetivação do ensino da historia e cultura afro-brasileira e indigena. Além disso, conta com seis cursos. São 30 vagas e as inscrições podem ser feitas até o dia 31 de abril.

O certificado dos cursos tem extensão de 90h e são válidos para concursos públicos, processos seletivos e evolução funcional de professores e professoras. O conteúdo, que estará disponsível a partir do dia 10 de maio, pode ser acessado a qualquer momento pelo celular, tablet ou notebook.

O projeto visa apresentar diferentes perspectivas de saber que rompam com a hegemonia eurocêntrica, presente na educação nacional. De acordo com o Coletivo Di Jejê, esse é um “desafio permanente, principalmente na perspectiva pós colonial”.

Conheça os cursos:

Kirü: O objetivo deste curso é dar voz às histórias e culturas dos povos indígenas brasileiros. Distanciando da ideia de uma única história para esses povos.

Kitangu: Objetivo: Trabalhar com lendas indígenas

Kawò: Objetivo: Entender, discutir e refletir sobre Patrimônio Cultural dos Povos Indígenas, as heranças, tradições e ensinamentos das culturas Indígenas no Brasil.

Kunugu: Objetivo: Conhecer a literatura e línguas indígenas brasileiras.

Sadna: Objetivo deste curso é relacionar Educação e Cultura Indígena.

Povos indígenas no Brasil - perspectivas atuais: Objetivo deste curso é localizar os índigenas no mundo atual. As novas lutas que se dera com o passar do tempo como espaço, patrimônio e turismo cultural

Serviço:

A pré venda está disponível na loja do Coletivo Di Jeje. O custo da formação é de R$ 150,00, que podem ser parcelado em até 12 vezes no cartão de crédito, ou à vista no boleto bancário. O aluno paga uma única vez e tem acesso por 6 meses ao conteúdo dos cursos.

Para adquirir o curso ou saber mais, acesse aqui.

 O povo preto quer narrar suas histórias

Vivemos em um mundo de disputa. Nossa sociedade tem profundas marcas das desigualdades que foram desenhadas ao longo da história. Na atualidade parece que há espaço para debate, a tão falada representatividade está sobre a mesa.
Mas o povo preto quer mais. Queremos narrar nossas próprias histórias. Queremos ter direito de fala não somente quando essa é concedida. Somos múltiplos, somos muitos e plurais. A ótica de ser preto no Brasil se revela como um espectro, tamanha a diversidade dos povos ancestrais que nos originaram, e a variedade de experiências que podemos ter e ser. Pertencer. O que nos conecta é pele.

Apoie o Alma Preta e nos ajude a continuar contando todas essas histórias.

Vamos fazer jornalismo na raça!

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com