fbpx

Dirigente da escola de samba escreveu em sua rede social lamentando e criticando o resultado que rebaixou sua escola

Texto / Reprodução
Imagem / Reprodulção

Darly Silva, o Neguitão, presidente da Vai-Vai, fez um pronunciamento após o resultado do Grupo Especial do carnaval em São Paulo, que rebaixou sua escola de samba para o Grupo de Acesso no ano que vem.

“O rebaixamento da escola é um golpe duro que dói na minha alma. Não fizemos um carnaval pra ficar em último lugar. Isso não é normal, mas há alguns anos eu tenho notado a perseguição que a Vai-Vai vem sofrendo no julgamento de carnaval”, escreveu, em uma publicação no Facebook, nesta quinta-feira (7).

Confira a íntegra da publicação abaixo:

Depois de um ano de trabalho muito difícil, com brigas políticas, muitas críticas e muita luta, conseguimos ir para avenida e fazer o carnaval.

Carnaval esse que fizemos com muita dificuldade em todos os sentidos. Sei que agora vou ser criticado nas redes sociais por gente que nem me conhece, e também pelos que acham que me conhecem.
Sei que o que aconteceu é inaceitável.

O rebaixamento da escola é um golpe duro que dói na minha alma.
Não fizemos um carnaval pra ficar em último lugar. Isso não é normal, mas a alguns anos eu tenho notado a perseguição que o Vai-Vai vem sofrendo no julgamento de carnaval.
Eu como presidente fui campeão duas vezes, em 2011 com “A música venceu” e em 2015 com “Simplesmente Elis”.

Um dia um amigo me disse:
“-Negão pro Vai-Vai ganhar carnaval daqui pra frente, só se vcs fizerem enredo igual a esses dois últimos anos campeões, pq aí não tem como não ganhar. Se não for assim, vcs não vão ganhar mais. “
Da a entender que o regulamento do carnaval foi mudado para atrapalhar, dificultar e impedir que o Vai-Vai continuasse a sempre estar na briga por títulos.
Fizemos o carnaval da mãe menininha e fomos novamente mal avaliados apesar de ter sido um carnaval forte e popular como 2011 e 2015.

Não ganhamos porque já estávamos sob a regra do jogo novo, que é tendencioso.
Quando o Vai-Vai ganhou o carnaval em 2011, no ano seguinte a liga mudou todos os jurados, quando o Vai-Vai ganhou o carnaval em 2015 a liga também mudou todos os jurados, mas quando o Vai-Vai não ganha... está tudo certo!

Agora a maldade foi ainda maior! Em 2018 ficamos em décimo e em 2019 rebaixados.
Quem assistiu esses carnavais sabe que não merecíamos esses resultados !
Amanhã vamos pegar a justificativa dos jurados e vamos ver se erramos ou se fomos forjados por erros que não cometemos!

Sei que agora nada do que eu falar vai amenizar a dor e o sofrimento dos que amam verdadeiramente a escola, sei que aqueles carniceiros e os abutres de plantão irão apontar a solução. Querem a minha cabeça, mas não é só porque a escola caiu, afinal, quando fui campeão eles também queriam.

A verdade é que querem tomar o meu lugar, mais quero deixar claro que o lugar não é meu, é da escola e assim sendo, é só a escola que pode definir que rumo vamos tomar ! As críticas que estou recebendo muitas são construtivas, outras ofensivas, mas sei que tenho que passar por isso porque estou a frente da escola, então toda carga que vier em mim e eu serei homem o suficiente pra assumir, para dialogar ou para até mesmo debater com quem quer que seja ! Pois sei do meu caráter !

O meu amor pela escola é muito maior do que a minha vaidade, e aconteça o que acontecer eu vou lutar até o fim, pois sou um guerreiro e vou a luta !
A escola não merece isso, não fez por merecer!
Não é justo! Não é correto esse resultado.

Não estou falando da vitória da Mancha, estou falando do rebaixamento do Vai-Vai. Foi injusto ! Aqueles que quiserem me atirar pedras, fiquem a vontade, é do ser humano. Eu entendo a dor, o sofrimento e reação de cada um. Respeito, mas também recebo de braços abertos aqueles que quiserem abraçar e falar uma palavra de carinho, não pra mim, mas pra escola, porque na verdade é a única coisa que interessa pra nós agora. É ela, a escola de samba Vai-Vai!

Se depois da justificativa houver erro dos jurados, ou erro da escola, a justiça será feita, podem ter certeza ! Amanhã com as notas na mão chegaremos a alguma conclusão!

Darly Silva (Neguitão)

 O povo preto quer narrar suas histórias

Vivemos em um mundo de disputa. Nossa sociedade tem profundas marcas das desigualdades que foram desenhadas ao longo da história. Na atualidade parece que há espaço para debate, a tão falada representatividade está sobre a mesa.
Mas o povo preto quer mais. Queremos narrar nossas próprias histórias. Queremos ter direito de fala não somente quando essa é concedida. Somos múltiplos, somos muitos e plurais. A ótica de ser preto no Brasil se revela como um espectro, tamanha a diversidade dos povos ancestrais que nos originaram, e a variedade de experiências que podemos ter e ser. Pertencer. O que nos conecta é pele.

Apoie o Alma Preta e nos ajude a continuar contando todas essas histórias.

Vamos fazer jornalismo na raça!

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com