Apesar de a população negra na Colômbia não passar de 25% do contingente nacional, mais da metade da equipe escalada para a Copa do Mundo é negra

Texto / Pedro Borges
Imagem / Getty Images

Os dados oficiais colombianos apontam para a existência de mais de 4 milhões de negros residentes na Colômbia, contingente que não chega a 10% da população total do país, que era de 48 milhões de cidadãos em 2016. Os movimentos sociais questionam os dados e consideram o número de 12 milhões de negros, ou seja, cerca de 25% dos colombianos.

Qualquer seja a contagem escolhida, a representação de negros na seleção colombiana nesta edição de Copa do Mundo é maior do que a existente no país. Entre os 11 titulares escalados para enfrentar a Inglaterra pelas oitavas de final do torneio, seis são negros (Davinson Sánchez, Mina, Mojica, Carlos Sánchez, Barrios e Cuadrado) e cinco são brancos (Ospina, Árias, Quintero, James Rodríguez e Falcão García). Logo, quase 55% dos titulares são negros e mais de 45%, brancos.

Assim como o ciclismo, o futebol é um esporte muito popular entre os colombianos, segundo Dennis de Oliveira, professor do CELACC-USP (Centro de Estudos Latino Americanos sobre Cultura e Comunicação). Ele acompanha de perto a condição social, política e econômica da América Latina, em especial da Colômbia, onde esteve em 2017.

“Como para o Brasil, o futebol lá é uma paixão nacional”, explica.

Para a população negra, porém, o esporte tem significado especial. De acordo com Dennis de Oliveira, sociedades marcadas pelo racismo estrutural, como o Brasil e a Colômbia, são separadas em espaços sociais para cada grupo. Para os brancos, cabem os locais de decisão e poder, enquanto para os negros, ambientes lúdicos.

“O futebol, por ser um esporte popular, acaba sendo um pouco isso. Por isso que há muitos negros na seleção colombiana”.

Outra razão para a popularidade do esporte entre a comunidade negra e a maior representação afrodescendente na equipe nacional é a presença das principais equipes do país nas cidades do país com a maior quantidade de afro-colombianos.

“Os times mais fortes da Colômbia estão em cidades onde há forte presença da população negra, como Cali e Medellín, locais com população negra bastante grande”, explica Dennis de Oliveira.

O Campeonato Colombiano foi inaugurado em caráter oficial em 1948, tendo sido disputado por 69 anos e já registrou 85 títulos oficiais - a edição de 1989 havia sido cancelada à época. O Atlético Nacional de Medellín é o maior vencedor, com 16 conquistas, seguido por Millonarios de Bogotá, com 15, e América de Cali, que conquistou 13 títulos.

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Onde Estamos

Endereços e Contatos
Rua Tonelero 201, ap 102. CEP: 05056-000
Vila Ipojuca, São Paulo
contato(@)almapreta.com

Mais Lidos