Walter Firmo, João Câmara, Castro Alves e jovens artistas contemporâneos da Bahia estão entre os destaques das aberturas que também celebram os 15 anos da instituição. Ao todo, são mais de 300 obras

 Texto / Lucas Veloso | Edição / Pedro Borges | Imagem / Divulgação

O Museu Afro Brasil promove no próximo dia 20 de novembro, quarta-feira, a partir das 11 horas, a abertura de uma série de exposições em celebração ao mês da Consciência Negra. A atividade também homenageia os 15 anos da instituição.

Integram o panorama das artes plásticas do país as mostras: Castro Alves – 150 anos do poema ‘O Navio Negreiro’, instalação de Emanoel Araujo. Também entram as gravuras aquareladas de Rugendas e um painel em homenagem aos 150 anos de nascimento da conhecida mãe-de-santo baiana Mãe Aninha (Eugênia Anna dos Santos).

Os artistas estrangeiros estão representados no conjunto de exposições através do trabalho de Alphonse Yémadjè e Euloge Glélé, ambos do Benim, que apresentam as individuais Alphonse Yémadjè – Símbolos dos Reis Ancestrais do Benim e Euloge Glélé – são esculturas dos deuses africanos do Benim.

Uma série de obras nativas da África, América Latina, Ásia e Oceania completam a programação expositiva. A coleção Christian Jack-Heymès, por exemplo, reúne máscaras e esculturas dos quatro continentes visitados pelo colecionador francês radicado no Brasil, Melvin Edwards.

Na exposição são apresentadas 51 esculturas, além de tecidos, indumentária tradicional e colares do antiquário e colecionador francês de arte tribal, radicado em São Paulo desde os anos 1970. O conjunto de peças revela as descobertas de Christian em suas inúmeras viagens por diferentes continentes.

João Câmara, rap e samba

Também será aberta na quarta-feira, dia 20 de novembro, às 11h, no Museu Afro Brasil, a exposição “João Câmara - Trajetória e Obra de um Artista Brasileiro”. Com curadoria de Emanoel Araujo, a mostra apresenta um conjunto com cerca de 50 obras (entre pinturas e litografias) do artista paraibano radicado em Pernambuco e conhecido por refletir em sua obra as raízes da cultura nacional.

No mesmo dia, paralelamente a abertura das exposições, acontece do lado externo do Museu Afro Brasil, às 11h, apresentação do bloco “Pega o lenço e vai”, de Mauá. O período da manhã do dia 20 reserva ainda o lançamento do livro “Fetiches – Diário de uma coleção de arte tribal”, de Christian-Jack Heymès.

Às 16h, no Auditório Ruth de Souza, o MC, poeta e produtor paulista Rincon Sapiência encerra a programação do dia com um bate-papo aberto ao público. No encontro, o artista falará sobre as influências musicais do oeste africano presentes no single “Meu Ritmo”, seu mais recente videoclipe.

Serviço
Museu Afro Brasil celebra seus 15 anos e o mês da consciência negra com a abertura de um conjunto de exposições | Data: 20 de Novembro, às 11 horas | Museu Afro Brasil - Parque Ibirapuera, Portão 10 | Entrada: Gratuita

bannerhorizontal

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com

Mais Lidos