fbpx
 

bannerlimpo

Coletânea “Há uma revolução mundial em andamento: discursos de Malcolm X” está em pré-venda online, traz prefácio do jurista Silvio Almeida e orelha pelo historiador Jones Manoel

Texto: Redação | Edição: Nataly Simões | Imagem: Reprodução

Al Hajj Malik Al-Shabazz, militante afro-americano conhecido mundialmente como Malcolm X, finalmente terá alguns de seus discursos traduzidos e publicados no Brasil pela primeira vez. A coletânea “Há uma revolução mundial em andamento” chega ao país pela Lavra Palavra Editorial em parceria com a Revista Clio Operário, concentra discursos proferidos pelo ativista e traz prefácio do jurista Silvio Almeida e orelha pelo historiador Jones Manoel.

A obra aborda os discursos de Malcolm após a ruptura do ativista com o movimento muçulmano negro, a “Nação do Islã”, e sua viagem à Meca e à África, em 1964, até seu assassinato, em 1965.

Em poucos meses, o já proeminente agitador do movimento muçulmano negro se tornou uma figura tão notória como controversa, professando a ação direta de autodefesa do povo negro e o internacionalismo militante, criticando o pacifismo do movimento pelos direitos civis e exibindo suas simpatias pelo socialismo dos revolucionários africanos – em plenos EUA anticomunistas.

A edição que será lançada oficialmente em novembro permite ao público um vislumbre do brilhante revolucionamento político e teórico de Malcolm, inclusive com uma autocrítica do seu sectarismo pretérito, até a ocasião de seu assassinato, em 1965, com apenas 39 anos. Além de seus discursos, a obra também contém o Programa da Organização da Unidade Afro Americana, escrito pelo ativista e que pretendia ser a base para seu trabalho político.

 A obra está disponível na pré-venda no site da Lavra Palavra Editorial.

 O povo preto quer narrar suas histórias

Vivemos em um mundo de disputa. Nossa sociedade tem profundas marcas das desigualdades que foram desenhadas ao longo da história. Na atualidade parece que há espaço para debate, a tão falada representatividade está sobre a mesa.
Mas o povo preto quer mais. Queremos narrar nossas próprias histórias. Queremos ter direito de fala não somente quando essa é concedida. Somos múltiplos, somos muitos e plurais. A ótica de ser preto no Brasil se revela como um espectro, tamanha a diversidade dos povos ancestrais que nos originaram, e a variedade de experiências que podemos ter e ser. Pertencer. O que nos conecta é pele.

Apoie o Alma Preta e nos ajude a continuar contando todas essas histórias.

Vamos fazer jornalismo na raça!

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com