fbpx

Entrevista do intelectual com longa trajetória de contribuição nas pautas levantadas pelo movimento negro vai ao ar às 22h da próxima segunda-feira (22), na TV Cultura, no site da emissora e nas redes sociais

Texto: Nataly Simões | Imagem: Reprodução/YouTube

O jurista, escritor, filósofo e professor Silvio Luiz Almeida é o convidado da próxima edição do programa de entrevistas “Roda Viva”, que vai abordar as manifestações antirracistas ao redor do mundo. O programa vai ao ar às 22h da próxima segunda-feira (22), na TV Cultura, no site da emissora e nas redes sociais.

Aos 43 anos, o intelectual brasileiro possui longa trajetória de contribuição nas pautas levantadas pelo movimento negro. Doutor em Filosofia e Teoria Geral do Direito pela Universidade de São Paulo (USP) e professor na Fundação Getulio Vargas (FGV) e na Universidade Presbiteriana Mackenzie, atua também como presidente do Instituto Luiz Gama, associação que reúne juristas, acadêmicos e ativistas de movimentos sociais em defesa das classes populares.

Em 2018, Silvio Almeida lançou o livro “O que é racismo estrutural?”, que discute como o racismo está na estrutura social, política e econômica da sociedade brasileira. Segundo o autor, o racismo não é um ato ou um conjunto de atos e tampouco se resume a um fenômeno restrito às práticas institucionais. Almeida descreve a concepção do racismo como um processo histórico e político em que as condições de subalternidade ou de privilégio de sujeitos racializados é estruturalmente reproduzida.

No ar desde 1986 e com foco em um debate plural de ideias, o “Roda Viva” proporciona reflexões não só da realidade brasileira e mundial, como do próprio jornalismo e dos jornalistas, por meio da apresentação de conceitos e análises sobre temas de interesse da população. O programa, no entanto, já foi alvo de críticas devido à baixa participação de convidados e profissionais da imprensa negros.

 O povo preto quer narrar suas histórias

Vivemos em um mundo de disputa. Nossa sociedade tem profundas marcas das desigualdades que foram desenhadas ao longo da história. Na atualidade parece que há espaço para debate, a tão falada representatividade está sobre a mesa.
Mas o povo preto quer mais. Queremos narrar nossas próprias histórias. Queremos ter direito de fala não somente quando essa é concedida. Somos múltiplos, somos muitos e plurais. A ótica de ser preto no Brasil se revela como um espectro, tamanha a diversidade dos povos ancestrais que nos originaram, e a variedade de experiências que podemos ter e ser. Pertencer. O que nos conecta é pele.

Apoie o Alma Preta e nos ajude a continuar contando todas essas histórias.

Vamos fazer jornalismo na raça!

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com