fbpx
 

Livro “O que acontece quando um homem cai do céu”, já em pré-venda, tem tom provocativo e trata temas maternidade, relação mãe e filha, sacrifício, o peso da feminilidade, afrofuturismo, amadurecimento e violência

Texto / Divulgação
Imagem / Divulgação

Em seu livro de estreia, O que acontece quando um homem cai do céu, a escritora Lesley Nneka Arimah desenvolve, em doze contos, diversas formas literárias que abrangem o insólito, a distopia, as memórias da guerra na Nigéria, as relações complexas entre mãe e filha, a convivência humana com as tecnologias, a infância e o embate entre as tradições de seus familiares e o cotidiano na América, muitas vezes com uma visão afrofuturista.

Com lançamento em 12 de julho de 2018, O que acontece quando um homem cai do céu é o segundo livro de autores das literaturas africanas de língua inglesa que a Kapulana lança neste ano. Em maio, a editora publicou o romance Esperança para voar, da jovem escritora Rutendo Tavengerwei, do Zimbábue, e em novembro será a vez do livro de memórias Um dia vou escrever sobre este lugar, do queniano Binyavanga Wainaina.

Lesley nasceu no Reino Unido, viveu na Nigéria e agora mora no estado de Minnesota, nos Estados Unidos. A obra original foi publicada nos Estados Unidos, na Inglaterra e na Nigéria, em 2017, com o título What it means when a man falls from the sky, fazendo com que a escritora ganhasse o prestigiado “Kirkus Reviews Prize”. O livro será lançado no Brasil pela Editora Kapulana em julho e já está em pré-venda.

Elogiada por diversos jornais e revistas internacionais, Arimah aborda o rompimento da rotina e a vulnerabilidade de seus personagens. Destaque para o conto “Luz”, vencedor do “Commonwealth Short Story Prize for Africa”, onde o relacionamento entre mãe e filha é posto em xeque. A mãe, a distância, desafia a educação dada pelo pai, que permaneceu com a filha na Nigéria, e acredita que a menina deve se mudar para os EUA com ela, longe do patriarca.

Outro marcante enredo está em “Glória”, ganhador do “O. Henry Prize”, prêmio promovido pela editora Anchor Books. A história se passa nos EUA, e conta a história da nigeriana Glória que, desde o nascimento, parece ter sido marcada pelo destino para conviver com o azar, até conhecer o conterrâneo Thomas, um homem de sorte. Diante da oportunidade de escolher o “caminho certo”, a protagonista tem que se questionar sobre o que é o azar, o que é a sorte, e como suas opções a levaram para um polo ou outro.

Evocativo e provocativo, "O que acontece quando um homem cai do céu" anuncia a chegada de uma autora com capacidade narrativa extraordinária, uma nova voz da literatura contemporânea. O The Washington Post, na resenha da jornalista Tayla Burney, destacou: “A voz de Arimah é vibrante e nova, os assuntos que ela traz são, ao mesmo tempo, oportunos e atemporais. Este é um volume raro que fui forçada a colocar nas mãos de amigos dizendo ‘Você tem que ler isso’”. Segundo o The New York Times Book Review, o livro é “estranho e maravilhoso. Uma contadora sagaz, oblíqua e provocativa, Arimah consegue encaixar a história de uma família em poucas páginas, e inventar parábolas utópicas, fábulas mágicas e cenários aterrorizantes”.

Serviço:

O que acontece quando um homem cai do céu
Autora: Lesley Nneka Arimah
Título original: What it means when a man falls from the sky
Editora Kapulana
Preço: R$ 39,90

Em pré-venda nas seguintes livrarias:
Amazon.com.br: https://amzn.to/2HLIdGN
Livraria Cultura: https://bit.ly/2JFX6QV
Martins Fontes Paulista: https://bit.ly/2yim6sa
Livraria da Travessa: https://bit.ly/2JUgtog
Cia dos Livros: https://bit.ly/2y92Xc4
Livraria Mundo da Leitura: https://bit.ly/2JVcYhq
Fnac: https://bit.ly/2t8Y8cJ

 O povo preto quer narrar suas histórias

Vivemos em um mundo de disputa. Nossa sociedade tem profundas marcas das desigualdades que foram desenhadas ao longo da história. Na atualidade parece que há espaço para debate, a tão falada representatividade está sobre a mesa.
Mas o povo preto quer mais. Queremos narrar nossas próprias histórias. Queremos ter direito de fala não somente quando essa é concedida. Somos múltiplos, somos muitos e plurais. A ótica de ser preto no Brasil se revela como um espectro, tamanha a diversidade dos povos ancestrais que nos originaram, e a variedade de experiências que podemos ter e ser. Pertencer. O que nos conecta é pele.

Apoie o Alma Preta e nos ajude a continuar contando todas essas histórias.

Vamos fazer jornalismo na raça!

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com