fbpx

Evento que acontece desde 2013 chega a sua quinta edição na Casa de Cultura Fazenda Roseira

Texto / Thalyta Martina
Imagem / Acervo Comunidade Jongo Dito Ribeiro

Acontece na Casa de Cultura Fazenda Roseira entre os dias 19 e 21 de janeiro a quinta edição do Encontro Juventude de Terreiro da região Metropolitana de Campinas. O evento reúne jovens de religiões de matriz africana com idades entre 15 e 35 anos para dialogar sobre políticas e movimentos da juventude e eleições.

A proposta do encontro é promover o respeito entre as diferentes nações e religiões dessa matriz, como explica uma das organizadoras do evento, Vanessa Dias. “O objetivo é aglomerar comunidades de povos tradicionais de matriz africana. É uma das demandas do coletivo promover convivência e conversas, porque tem muitas diferenças”.

A ideia de fazer um evento que reunisse jovens dessas religiões surgiu em 2013 e o primeiro encontro aconteceu em janeiro de 2014 com pessoas de diversas cidades da região metropolitana de Campinas. Em edições anteriores temas como combate à intolerância religiosa e patrimônio nos terreiros, diferenças entre as religiões de matrizes africanas e manuseio de ervas foram abordados.

Este ano, a organização prevê receber 60 jovens que irão conviver, conversar sobre o sistema eleitoral e discutir sobre movimentos da juventude no país. As atividades previstas para este ano vão desde manuseio com a terra, até atividades de convivência, aprendizados com os mais velhos e produções coletivas. O domingo contará com um almoço de encerramento com os pais dos jovens que estão no evento. “A juventude que passa por esse encontro tem que deixar a sua marca e, também, a contribuição para o espaço”, afirma Dias.

Vanessa explica que a hospedagem e alimentação são gratuitas. “A ideia é que o jovem vá e fique do começo ao fim na fazenda, na casa de cultura”, ressalta.

Serviço
Local: R. Domingos Haddad, 1 - Residencial Parque da Fazenda, Campinas
Dia: 19 de janeiro de 2018
Horário: 19h

 O povo preto quer narrar suas histórias

Vivemos em um mundo de disputa. Nossa sociedade tem profundas marcas das desigualdades que foram desenhadas ao longo da história. Na atualidade parece que há espaço para debate, a tão falada representatividade está sobre a mesa.
Mas o povo preto quer mais. Queremos narrar nossas próprias histórias. Queremos ter direito de fala não somente quando essa é concedida. Somos múltiplos, somos muitos e plurais. A ótica de ser preto no Brasil se revela como um espectro, tamanha a diversidade dos povos ancestrais que nos originaram, e a variedade de experiências que podemos ter e ser. Pertencer. O que nos conecta é pele.

Apoie o Alma Preta e nos ajude a continuar contando todas essas histórias.

Vamos fazer jornalismo na raça!

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com