A peça debate os rumos e estratégias pelo fim da discriminação racial, pensados pelos dois líderes

Texto / Lucas Veloso | Edição / Pedro Borges | Imagem / Julio Ricardo

Com texto de Jeff Stetson e direção de Isaac Bernat, “O Encontro – Malcolm X e Martin Luther King Jr”, narra um encontro fictício dos dois líderes pelos direitos civis nos EUA. em um hotel do Harlem.

As ideias e estratégias dos dois líderes contra a opressão e exclusão dos negros na sociedade são os pontos de partida do espetáculo, que estreia no dia 1º de agosto, às 21h, no Sesc Consolação.

Para o diretor, a montagem trata do racismo e discriminação, questões essenciais que impedem uma sociedade justa e igualitária. “As visões e as práticas de Malcolm e Martin têm muito a nos inspirar e ensinar neste momento onde a humanidade parece perdida e sem esperança. Aline Mohamad e eu estamos há anos tentando encená-lo e agora chegou a hora”, observa Isaac.

Apesar de terem vivido na mesma época, Malcom e Luther King fizeram diferentes trajetórias e só se encontraram durante poucos minutos, num rápido aperto de mãos. Os dois foram assassinados na década de 1960 e com a mesma idade: aos 39 anos.

“Nós, negros, ainda estamos em situações de muita desigualdade. Esse diagnóstico se tornou clichê, mas é uma realidade”, observa Izak Dahora, intérprete de Malcolm. “Ele era cerebral e estrategista e, ao mesmo tempo, instintivo e dono de uma intuição poderosa e uma força demolidora”, completa.

Rodrigo França, o Luther King Jr. na peça, acredita na importância da obra para discutir o racismo estrutural. “Embora seja um crime, ainda temos uma tendência de escamotear o racismo, que no Brasil mata, fere, exclui e enlouquece. Esta montagem é mais uma para tocar nessa ferida.

Nos EUA, a montagem recebeu vários prêmios, como oito Prêmios de Teatro da NAACP (1987); Prêmio para Dramaturgos Louis B. Mayer (1984); Prêmio Ohio State Achievement of Merit Award (1990), além de seis indicações para o Prêmio New York Audelco (1987).
Martin e Malcom.

Martin Luther King Jr. foi a pessoa mais jovem a receber o prêmio Nobel da Paz, aos 35 anos, em 1964. Quatro anos depois foi assassinado, em 4 de abril de 1968, em Memphis, no Tennessee. Doutor em Teologia pela Universidade de Boston e Pastor de uma igreja Batista de Montgomery, no Alabama, Dr King, como era chamado, assim como Mahatma Gandhi, pregou a não violência como forma de protesto contra a segregação racial.

Nascido numa família pobre na pequena cidade de Omaha, no Nebraska, Malcom X foi ladrão, agenciador de prostitutas e viciado em drogas antes de se tornar o líder de uma revolução mundial dos negros. Ele chegou a ser preso, e com o tempo passado por lá, estudou, e ao sair abandonou o crime, tornando-se um importante orador

Serviço | O Encontro – Malcolm X e Martin Luther King Jr
Temporada: 01 a 11 de agosto de 2019 | 5ª a Sábado - 21h / Domingo - 18h | Duração: 65 minutos | Classificação Etária – 12 anos | Teatro Anchieta – Sesc Consolação - R. Dr. Vila Nova, 245 – Vila Buarque | Tel.: (11) 3234-3000 | Ingressos - R$ 12,00 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculados no Sesc e dependentes/Credencial Plena) | R$ 20 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor de escola pública com comprovante) | R$ 40,00 (inteira).

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com

Mais Lidos