fbpx

Com letras sobre coisas positivas, cantora baiana lança EP

Texto / Lucas Veloso | Edição / Simone Freire | Imagem / Reprodução

Nesta sexta-feira 13, dia popularmente conhecido como de má sorte, foi a data escolhida pela cantora Larissa Alves para lançar seu primeiro EP, o "Pense em coisa boa Ao Vivo". O trabalho, já disponível nas plataformas digitais, também tem versão no YouTube, onde é possível assistir a gravação das faixas.

A saúde mental das pessoas negras foi um dos motes para Larissa pensar no trabalho. Ela recorda que compôs ‘Pense em coisa boa’, depois de sentir necessidade de cuidar melhor da sua saúde mental. A cantora enxerga esta faixa como um convite às pessoas transformarem suas energias e saírem de estados de depressão. ‘Um convite à cura mental, espiritual’, como define.

Segundo a Larissa, nos últimos tempos, sob o governo de Jair Bolsonaro, o cenário político está desfavorável aos negros, e por conta disso, é importante cuidar do bem estar. “A gente precisa se cuidar e ficar bem com nossa saúde mental, cultivando a alegria sempre. Caso contrário, a gente não consegue resistir aos lutos diários”.

O EP conta com quatro músicas, entre elas, ‘Pense em coisa boa’, que dá nome ao disco, ‘Endiabrada’ e ‘Me escuta’, compostas pela própria artista e ‘Alma Vazia’, escrita pela compositora Ellen Carvalho.

Para Larissa, o disco foi a oportunidade de incluir as suas referências musicais. “Acredito no poder de transformação das canções, e quis mostrar isso nessa produção”, afirma.

Os arranjos musicais foram criados juntos com os músicos Clency Santana (percussão), Larissa Alves (voz), Lucas Uth (bateria), Mateus Lima (baixo), Pedro Passanesi (guitarra) e Vinicius Chagas (sax).

A ideia de uma produção em vídeo, no YouTube, foi para mostrar a energia, e a troca com os músicos e o público que a acompanha nos shows. Dirigido por Vinícius Bopprê, o trabalho foi roteirizado a partir dos shows feitos pela artista.

Larissa nasceu em Ilhéus, criada em Mata de São João e crescida na Boca do Rio, bairro popular de Salvador. É formada em relações públicas e mora em São Paulo desde 2012. Apesar de ser o primeiro, EP, como artista, Larissa já integrou a banda de forró “O Baile”, com apresentações em diversos espaços da capital paulista.

 O povo preto quer narrar suas histórias

Vivemos em um mundo de disputa. Nossa sociedade tem profundas marcas das desigualdades que foram desenhadas ao longo da história. Na atualidade parece que há espaço para debate, a tão falada representatividade está sobre a mesa.
Mas o povo preto quer mais. Queremos narrar nossas próprias histórias. Queremos ter direito de fala não somente quando essa é concedida. Somos múltiplos, somos muitos e plurais. A ótica de ser preto no Brasil se revela como um espectro, tamanha a diversidade dos povos ancestrais que nos originaram, e a variedade de experiências que podemos ter e ser. Pertencer. O que nos conecta é pele.

Apoie o Alma Preta e nos ajude a continuar contando todas essas histórias.

Vamos fazer jornalismo na raça!

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com