fbpx

Texto: Vinicius Martins / Imagem: Divulgação

Atividade prática pretende explicar técnicas e fundamentos importantes para desenvolvimento de projetos acadêmicos

No dia 4 de fevereiro, sábado, o Coletivo Di Jejê organiza o primeiro curso presencial do mês, focado na escrita de projetos de pesquisa acadêmica. A atividade acontece na Casa Comunitária Coletivo Di Jejê, localizada na rua Caetano Gonçalves, número 75, das 10h às 16h. As inscrições podem ser feitas aqui até o dia 3 de fevereiro.

O curso oferece 15 vagas e os participantes receberão uma apostila como material de apoio e terão direito à certificação. A prática consiste em apresentar as etapas fundamentais para um projeto de pesquisa: a utilidade e importância do referencial teórico, métodos de pesquisa como a coleta e análise de dados, a elaboração de justificativa, relevância, hipóteses e objetivos, formas de delimitar um tema, caminhos para formular um problema e como levantar dados nas bases da Capes da Scielo, entre outras etapas.

Jaqueline Conceição, articuladora do Di Jejê e responsável pelo curso, explica que a atividade pode ampliar a base dos pesquisadores para a produção científica. “O curso pretende dar base para que pesquisadores consigam desenvolver pesquisas e dialogar com a metodologia e a linguagem da acadêmica. Entender um pouco mais o processo de formação do pesquisador e como se constrói um projeto de pesquisa”.
Além de ser aberto a todos os públicos, a prática ainda conta com um foco especial para pesquisadores(as) negros e negras. Jaqueline Conceição avalia que existem alguns entraves nos campos de pesquisa sobre negritude no país.

“Uma das maiores dificuldades que os pesquisadores negros têm no Brasil em produzir pesquisa é conseguir achar um referencial e uma metodologia de pesquisa que se encaixe com seu objeto de pesquisa, porque há poucas produções acadêmicas sobre a negritude, sobre os negros no Brasil comparado a outros campos”, afirma.

Os conhecimentos ministrados na atividade são voltados para pessoas que estão iniciando a vida acadêmica e não têm familiaridade com as regras técnicas da linguagem acadêmica.

“A maior dificuldade de elaborar um projeto de pesquisa é entender exatamente o que é o campo. Um bom pesquisador leva em média cinco anos para ser formado, que é o período da graduação”, explica Jaqueline Conceição.

Serviço

Curso Presencial "Escrevendo Projetos de Pesquisa"
Data: 04 de Fevereiro de 2016
Local: Casa Comunitária Coletivo Di Jejê / Rua Caetano Gonçalves, 75 (Chora Menino/São Paulo - Santana/ Próximo a Linha Azul)
Horário: 10hs as 16hs
Valor: 57,00
Vagas: 15 lugares

Clique aqui para se inscrever!

Cronograma

10hs - Café
10h30m - Roda de apresentação
11h - Etapas do projeto de pesquisa
12h - Por quê e para quê usamos referencial teórico
13h - 14h - Almoço
14h - Metodologia de pesquisa: coleta e análise de dados
15h - Levantamento bibliográfico ou estado da arte
16h- Encerramento

Observações: 1. Esse é um curso focado em pesquisadoras e pesquisadores pret@s, mais é aberto a todos os públicos. 2. Esse curso também é destinado a quem está iniciando a vida acadêmica e não manja nada do tecnicismo da acadêmia. 3. Esse é um curso prático, venha disposto a discutir e debater, além de vivenciar dinâmicas em grupo. 4. Curso com certificação e apostila impressa. 5. Almoço e café, inclusos no valor da inscrição.

 O povo preto quer narrar suas histórias

Vivemos em um mundo de disputa. Nossa sociedade tem profundas marcas das desigualdades que foram desenhadas ao longo da história. Na atualidade parece que há espaço para debate, a tão falada representatividade está sobre a mesa.
Mas o povo preto quer mais. Queremos narrar nossas próprias histórias. Queremos ter direito de fala não somente quando essa é concedida. Somos múltiplos, somos muitos e plurais. A ótica de ser preto no Brasil se revela como um espectro, tamanha a diversidade dos povos ancestrais que nos originaram, e a variedade de experiências que podemos ter e ser. Pertencer. O que nos conecta é pele.

Apoie o Alma Preta e nos ajude a continuar contando todas essas histórias.

Vamos fazer jornalismo na raça!

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com